O Homem.

quarta-feira, 22 de maio de 2019 · Temas:

O último dia foi dedicado ao Homem, afinal, uma peça chave no ambiente que foi o tema desta semana Erasmus. Somos capazes de coisas más e boas, mas somos os únicos que efusivamente manifestamos os nossos sentimentos. Ao empenho da manhã seguiu-se o divertimento da tarde e, por fim, à noite, o entusiasmo e a melancolia.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Upa! #8.

domingo, 19 de maio de 2019 · Temas: ,

À boleia da semana ambiental no âmbito do programa Erasmus do AEL, realizamos uma inédita entrevista internacional aos alunos que nos vieram visitar. O valor das respostas às perguntas conduzidas pela Ana é enorme, pela sinceridade própria da juventude, e porque parecem justificar os seis meses de trabalho, e a ousadia, que nós, os professores da equipa Erasmus desenvolveram em conjunto com os nossos alunos, companheiros de trabalho, funcionários “formiguinhas”, e a Direção que sempre acreditou nesta equipa e esteve lá para nos apoiar.

Mais; estes alunos da Itália, França, Hungria, Chipre e Roménia são, a par dos seus professores, a D. Josélia e nós próprios, aqueles que conseguem ver em perspetiva toda esta semana de atividades corajosas. Muitos adoraram o surf, outros o Porto ou verde da nossa região, mas todos eles gostaram de nós e alguns queriam ficar…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Porto, as cidades.

sexta-feira, 17 de maio de 2019 · Temas:

Ontem foi o dia das cidades. A semana ambiental subdividiu-se em temas, e nesta quinta-feira fizemos experimentar o Porto. Reunimos num típico café da baixa, partimos às compras e deixamos descobrir a cidade. Ficam as fotos.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A flora.

quinta-feira, 16 de maio de 2019 · Temas:

O terceiro dia do nosso programa Erasmus tinha como tema a flora e a fauna. Nesse sentido, sentimos que devíamos visitar Amarante, sempre bela, e cada vez mais, e depois Serralves. E se pretendíamos fazer geocaching, a brevidade do relógio não permitiu, mas a fantástica exposição de Joana Vasconcelos compensou. Voltamos a casa, enfrentamos o trânsito, e os corajosos ainda voltaram à escola para dançar.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Um dia pela água.

quarta-feira, 15 de maio de 2019 · Temas:

A sorte protege os audazes. Não é a primeira vez que invocamos o proverbio, e a audácia é uma palavra que acompanha este programa Erasmus. Hoje tivemos sorte com o calor; permitiu uma fantástica pedalada de bicicleta da baixa até ao Parque da Cidade, e uma inédita experiência de surf, realizada na derradeira praia norte do Porto, junto ao Edifício Transparente. Foi marcante para nós, que temos vindo a desenhar esta semana há meses, mas sobretudo para os jovens nacionais e internacionais que nos acompanham e viveram esta experiência indelével.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O primeiro dia.

segunda-feira, 13 de maio de 2019 · Temas:

Andamos, muito ausentes, mas temos uma boa justificação, estivemos empenhados nos últimos pormenores de uma semana ambiental, preparada para receber os nossos parceiros de Erasmus, e finalmente foi hoje o dia! Em síntese: recebemos os nossos amigos na ESL, apresentamos o nosso programa e a escola, dançamos para quebrar o gelo, pintamos, plantamos e sorrimos. Amanhã esperam-nos bicicletas e surf no Porto, numa jornada ligada à água! Até amanhã!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O Drac no estúdio!

domingo, 28 de abril de 2019 · Temas: ,

Na Roménia encontramos o parentesco do Vlad enfiado numa cesta, dentro de uma loja de souvenires. De todos, o mais aprumado era o Drac, que trouxemos e levamos ao fotógrafo. Aplicamos a mesma técnica que utilizamos com o primo em dezembro passado, quando improvisamos um estúdio e o fotografamos na biblioteca da ESL.

O Drac é um bonitão! Não tivemos dificuldade em obter boas poses do Drac, que agora servirão para fazer mais uns stickers para o WhatsApp e juntar àqueles que havíamos feito com o Vlad que, coitado, foi bem espremido… para a foto!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O que a sociedade espera de nós.

quinta-feira, 25 de abril de 2019 · Temas:

O processo de adaptação à diferença em relação à norma por parte do maior dos organismos, a sociedade, é lento. E se em certas situações, podemos considerá-lo demasiadamente lento, noutras, a absorção da novidade carece da necessária parcimónia, de modo a evitar “cóleras e lutos, que queimam os ninhos”. Contudo, e num mundo globalizado e vivido ao segundo, esta calma é cada vez mais difícil de estabelecer, e as “cóleras e lutos” imperam perante a razão.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Estado do tempo no regresso às aulas.

domingo, 21 de abril de 2019 · Temas: ,

Abril surgiu chuvoso. Os valores de precipitação ainda não são suficientes para colmatar o déficit pluvioso de março, e do inverno em geral, mas são seguramente uma benesse para quem temia que a primavera se aproximasse do estio num registo equivalente. Mas não, e a próxima semana parece cumprir o desígnio: trará chuva, daquela atlântica, à mistura com um arrefecimento da temperatura. Esta é a previsão até à próxima sexta-feira, 26 de abril.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Diferenças que despertam.

· Temas: ,

Nós, adultos, temos por hábito achar os nossos alunos vivem por vezes alienados da realidade social, que habitam uma carapaça imune a assuntos chatos e como a políticas de educação, alterações legais sobre a forma como um aluno poderá percorrer o seu caminho académico. Em parte, é verdade, mas em boa parte, e quando lhes atinge, interessam-se, indagam e discutem; põem em causa.

Afinal, não são muito diferentes dos adultos, que também só se interessam pelos assuntos que lhes mexem com a “carteira” ou põem em causa o seu bem-estar. E temos muitos exemplos, os fogos que só acontecem lá longe, no interior, ou a seca que graça os campos, mas que não se reflete nas prateleiras do supermercado. Pois…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Sobre o abandono escolar.

sexta-feira, 19 de abril de 2019 · Temas:

A nossa rubrica Támal também contempla problemas sociais e abandono escolar é um deles. E quando a reportagem entrevista duas pessoas que têm que ver com o mundo da educação, um jovem com o secundário finalizado há pouco, e uma mãe, com uma filha ainda a estudar, o objeto torna-se num interessante testemunho.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Escadas em andamento.

sexta-feira, 12 de abril de 2019 · Temas:

O Jan e a sua equipa estão a fazer um excelente trabalho nas Escadas da Natureza, mesmo, mesmo à porta da ESL, e local de passagem diária de centenas de alunos que as utilizam para ir para a escola, ou para se “pisgar” da mesma. Estão longe de terminadas, mas é já possível ver como um artista com génio funciona: aproveita o espaço e os seus elementos para compor a obra e não o contrário.

Ora, a simbiose é feliz! Há um aproveitamento dos arbustos, que agora se transformaram em árvores, do poste de que sustenta a toponímia e que virou um ramo, a par dos corrimões que agora são galhos onde pousam pássaros. Por outro lado, as paredes realçam a dicotomia entre a poluição e a natureza, o bem e o mal, numa mensagem feliz, tal como é o nosso estado de espírito (professores de Erasmus do AEL), com esta aposta ganha que se finalizará no próximo dia 13 de maio, com as últimas pinceladas dadas pelos nossos pares estrangeiros e os alunos do Ensino Especial da nossa escola, que vão encontrar uma parede só para eles!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Questionando a poluição.

quarta-feira, 10 de abril de 2019 · Temas: ,

Inauguramos o támal deste ano letivo, com uma pequena investigação realizada pela Clara e pela Mariana, que confrontaram pessoas com uma série de questões sobre a poluição. Admiramos a atitude pelo seu conteúdo, mas também pela forma. E, apesar de já contar com uns anos, não nos cansamos de insistir e reinventar esta rubrica, que é uma forma de materializar criatividade e aprender.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Aquilo que não choveu em março.

domingo, 7 de abril de 2019 · Temas:

O passado mês de março registou pouca precipitação, temperaturas máximas elevadas e grandes amplitudes térmicas diárias. A chuva ocorreu apenas no início do mês, num total de 42,17 milímetros (o valor médio do mês nesta estação, para o período de 2012 a 2018, situa-se no 148 mm). Nos restantes dois terços do mês, nada choveu, as temperaturas máximas atingiram valores próximos dos 25ºC, e as amplitudes térmicas chegaram a atingir os 17ºC (dia 15).

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O guarda-chuva azul!

sexta-feira, 5 de abril de 2019 · Temas: , ,

Vivemos a uma velocidade tão grande, que por vezes nos parece estranho abrandar e olhar para coisas simples, tal como foi decorar um guarda-chuva azul, com frases de fundo amarelo, a propósito do maus-tratos. Quando recebemos a proposta de colaboração, pensamos, erradamente, que a decoração do objeto não se adequaria à maturidade de um décimo-primeiro ano de escolaridade. Enganamo-nos! Não na questão da idade, mas pela hábito ridículo de sobranceria sobre as coisas pequeninas. Pois, mas muitas coisas pequeninas decoraram, com belo efeito, os jardins do concelho, e afinal, as coisas pequeninas também permitem coisas grandes e vertiginosas.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Alfaiate: a cor dos olhos.

quarta-feira, 3 de abril de 2019 · Temas:

Diz-se que os olhos não mentem. Acreditamos, até porque a sua beleza, seja ela castanha ou ermeralda, normalmente coincide com a beleza do rosto. Com o olhar pedimos, desejamos, choramos ou mandamos, e nesse sentido, os olhos são o fim daquilo que somos, a nossa personalidade.

A cor dos olhos de uma pessoa resulta da pigmentação de uma estrutura chamada íris, que circunda o pequeno buraco negro no centro do olho (a pupila) e ajuda a controlar quanta luz pode entrar no olho. O castanho é a cor dos olhos mais frequente em todo o mundo. As cores mais claras dos olhos, como azul e verde, são encontradas quase exclusivamente entre pessoas de ascendência europeia.

A cor dos olhos é determinada pelas variações nos genes de uma pessoa. A maioria dos genes associados à cor dos olhos está envolvida na produção, transporte ou armazenamento de um pigmento chamado melanina. A cor dos olhos está diretamente relacionada à quantidade e qualidade da melanina nas camadas frontais da íris, e as pessoas com olhos castanhos têm uma grande quantidade de melanina na íris, enquanto pessoas com olhos azuis têm muito menos deste pigmento.


onte: https://ghr.nlm.nih.gov/primer/traits/eyecolor

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O regresso da chuva.

domingo, 31 de março de 2019 · Temas:

Esperemos que os primeiros sinais de chuva que hoje ocorreram em algumas regiões do país, sejam o prenúncio da sua vinda. É estranha esta ânsia, pelo facto de estarmos no início da primavera, tempo em que é normal a chuva abundante. Afinal, tivemos um mês de fevereiro seco e um março semelhante aos registos de pluviosidade que se registam em junho. De facto, a estação meteorológica da ESL registou uns modestos 42.17 mm, num mês cuja média registada por esta mesma estação meteorológica (2012-2018) se situa nos 148mm.

Nos próximos dias, e segundo a estação meteorológica da ESL, está prevista chuva que parece fazer jus ao adágio mais famoso de abril, conhecido pela sua chuva copiosa. Inicialmente, virá acompanhada de trovoada, convectiva, portanto. A partir de quinta chega a chuva atlântica, com o declínio do anticiclone que suportou este inusitado calor e bom tempo dos últimos dias de março.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Grafites em andamento!

sexta-feira, 29 de março de 2019 · Temas: , ,

Há cerca de dois anos, aventuramo-nos a recuperar as escadas públicas que medeiam o edifício da ESL e a Rotunda da Banda de Música da Lixa. Naquele início de verão, encontramos paredes vandalizadas e sujas e, durante dois dias, tratamos de as pintar de branco numa espécie de divertimento e missão. Assim ficaram durante todo este tempo à espera da intervenção que hoje começou: um grafite alusivo ao tema da natureza e discriminação, integrado na Environment Week – Erasmus, que terá lugar no próximo mês de maio.

Hoje, uma equipa de três voluntários internacionais, alunos universitários de Erasmus, começaram a intervir nas paredes respetivas. Começaram por dar um ligeiro tratamento às paredes, esboçar umas árvores e uns olhos gigantes, de forma a cumprir o desenho planeado para o local. Voltam na próxima quinta e sexta-feira e, tal como as meninas do Turismo, podes e deves interagir com eles. Por sinal, adoraram este primeiro dia e da hospitalidade da nossa escola!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Voltamos à Roménia.

quinta-feira, 28 de março de 2019 · Temas: ,

Não é fácil escrever sobre a Roménia. O país causa-nos um sentimento revolta, de necessidade de ação, mas, ao mesmo tempo de impotência, a impotência de velho gigante adormecido, perante a vertigem de uma Europa com outro fulgor.

Se resumirmos Roménia atual a um problema, diremos economia. Há falta de dinheiro, a agricultura é incipiente e sujeita a cotas, da indústria de mão-de-obra intensiva restam enormes esqueletos do passado, e o dinheiro estrutural que emana de Bruxelas parece só contemplar alguns, aqueles que estão ligados ao aparelho do estado.

Por isso, viver na Roménia é para a maior parte da sua população, um ato de sobrevivência diária, onde vender infusões engarrafadas em garrafas plásticas de coca-cola, à mistura com alguns ovos e alhos, num escaparate que no máximo poderá render uns 5 euros, é o suficiente para aguentar a gélida manhã de Oltenita, cidade que nos acolheu.

As pessoas são desconfiadas, afáveis, mas pouco habituadas a forasteiros. Já o havíamos sentido em Bucareste, a imperial capital do país, mas na zona rural, mesmo colados à Bulgária, o sentimento de estranheza é ainda maior. Não obstante, nunca sentimos insegurança e facilmente nos imbuímos no pequeno mundo local, uma ilha naufragada, ligada por uma estrada e uma via férrea ferrugenta, ao resto do país.

Quando este país acordar, quando a infraestruturação rodoviária acontecer e o investimento estrageiro criar tecido económico, a Roménia vai abrir-se ao mundo e a beleza natural das suas paisagens e tradições serão argumentos fortes para um mundo global, turístico, que ainda não existe na Roménia.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Trouxemos o Drac!

segunda-feira, 25 de março de 2019 · Temas: ,

A nossa visita à Roménia, entre muitas coisas, proporcionou um encontro de família. O nosso Vlad reencontrou o primo, o Drac, que é familiar próximo, até porque os proeminentes olhos não enganam. Mas as semelhanças ficam-se por aqui. É que o primeiro apresenta um visual que, a ser moda…, terá feito sucesso na época medieval, e mesmo assim, de gosto muito duvidoso. Já o Drac, de cabelo lambido e colar brilhante, parece saído de uma boîte de lâmpada vermelha, e por isso, sempre na moda e resistente à passagem dos tempos…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Vencemos o OPE!

· Temas: ,

Foi à distância de 3000 kms, na Roménia, que soubemos do resultado do OPE deste ano letivo. A diferença horária atirou-nos a notícia para depois do jantar, pouco passava das 22h, e soube bem acolher que a vitória por uma diferença tão grande. É, na verdade assim que se faz o jogo da democracia; perder, ganhar, aceitar a derrota e realçar os projetos que não ganharam, e se constituíam como fantásticas ideias para tornar a nossa escola ainda melhor.

Contudo, cremos ter ganho com mérito! Em plena aula, criamos espaço para muita discussão de ideias e propostas para um projeto de OPE, cujo refinamento levou-nos à proposta final: a criação de uma árvore wifi, colocar um aquário para a Biblioteca da ESL, adotar 2 gatos e adquirir uma máquina de dardos. E se o resultado nos agradou, o processo fez-nos orgulhar, pois unimos uma turma em prol de uma campanha feita de folhetos, diálogo de campanha e esforço.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Think twice, go back.

sexta-feira, 15 de março de 2019 · Temas: , ,

Pensar duas vezes é crescer, é amadurecer, é refletir e tomar a atitude certa. Por analogia, foi também num segundo fulgor, que projetamos este pequeno clip que levamos no bolso para a Roménia, a propósito do tema da discriminação. Cabem nele algumas das formas comuns da mesma, que importa combater e ensinar lutar sem “lutos nem cóleras”, até porque a cobardia é imprópria da condição humana.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Desperta, primavera!

quinta-feira, 14 de março de 2019 · Temas:

Não há como a vivacidade da primavera, rainha das manhãs frescas e cores garridas. Sob o seu manto, as gramíneas escondem o orvalho, as folhas acordam nos galhos e os pássaros com chilreiam, perfumando o ar.  Os jardins da nossa escola prestam-se a este festim, e nós humildemente agradecemos.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Programa fechado!

quarta-feira, 13 de março de 2019 · Temas:

Em novembro passado tínhamos apresentado um esboço muito avançado do programa Erasmus para a Environment Week  que queremos levar a cabo, quando os nossos companheiros estrangeiros nos visitarem. Agora, passados cerca de 4 meses, surge a versão definitiva. O seu desenho prevê os seguintes temas diários: a fauna e a flora, a água, as florestas, as cidades e o Homem. É portanto, a concretização do subtema que definimos para o tema geral e agregador: your rights are my rights.

Para esta semana ambiental, que se desenvolve em 3 locais, a ESL, o Porto e Amarante, prevemos várias atividades: a pintura de um mural de grafite, um percurso de bicicleta, uma experiência de surf, peddy papers, visitas culturais, icebreaking activities e um festival de música. Cremos, com este programa, estar a dar o melhor que sabemos. Para isso trabalhamos em equipa neste projeto há meses e quase diariamente.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Jan, Aneta, Kasia e Pia.

terça-feira, 12 de março de 2019 · Temas:

No extenso plano de atividades que estamos a ultimar para maio, a propósito da receção aos nossos companheiros europeus do projeto ErasmusYour Rights are My Rights – consta a realização de um grafite nas paredes das “Escadas da Natureza”, que assim denominamos, desde que as pintamos de branco durante o projeto Ninhos. Ficaram assim em pousio, à espera da oportunidade, esta, que pretende elaborar um mural grafitado sob o tema da discriminação / natureza

Ora, se temos a ideia, falta-nos a técnica. Daí a preciosa ajuda da Casa da Juventude de Amarante que, entre outras facetas, realiza intercâmbios com alunos estrangeiros universitários, que permanecem em Portugal a troco de voluntariado. Cada aluno presta-se neste regime naquilo que melhor sabe fazer e daí o surgimento em cena do Jan, da Aneta, da Kasia e da Pia, 4 artistas da República Checa, Polónia e Finlândia, respetivamente, que estiveram hoje na nossa escola para se inteirarem do mural das escadas.

Se correr bem, e com a devida autorização camarária, os nosso artistas farão os primeiros esboços durante o mês de abril, de modo a que parede esteja pronta para a esperada e rendilhada Environment Week de maio. Dela daremos notícia!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Fevereiro primaveril.

sábado, 9 de março de 2019 · Temas:

O mês de fevereiro passado, apresentou temperaturas próprias dos meses de primavera. Apenas em 4 dias, as temperaturas médias diárias desceram abaixo da média mensal de referência do mês, 9,5ºC, considerada para o período de 2012 a 2018. As médias estiveram acima daquele valor, impulsionadas, sobretudo, pelos valores de temperatura máxima, que chegaram a ultrapassar os 25ºC.

O mês também se pautou pela ausência de precipitação de monta. Choveram 56,7 milímetros por metro quadrado, para uma média mensal, do mesmo período de referência, de 191 milímetros.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Maria.

quinta-feira, 7 de março de 2019 · Temas: , ,

A Maria és tu, somos nós, é a atitude perante a discriminação e a estupidez de considerar a diferença. A Maria é criança, adolescente e adulta, é uma ficção real que o décimo D fez nascer para uma curta-metragem teatralizada, cujo tema parece mais atual do que nunca.

A filmagem, que decorreu no Grande Auditório da ESL, depois de um trabalho de meses desenvolvido pela turma e respetivo conselho de turma, no âmbito da Área de Cidadania, envolveu literalmente todos os alunos, que se esmeraram no seu argumento e produção. O resultado, simples e teatral, enche-nos de orgulho, sobretudo pelo trabalho colaborativo que se verificou na turma e professores. A construção do argumento, os múltiplos ensaios, dentro e fora de aula, os palpites, sugestões, e soluções improviso, todo o processo, mantido em abstrato, decorreu com a garra e entusiamo de quem já parecia ver a curta metragem finalizada. Ei-la!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Qualifica-te.

segunda-feira, 4 de março de 2019 · Temas:

Visitamos a Qualifica, que teve lugar na Exponor na passada sexta-feira, e ficamos impressionados com multiplicidade de oferta de cursos profissionais e superiores, a par das várias opções ligadas às forças armadas e segurança. Vimos centenas de jovens, muitos vestidos a rigor, a promover cursos profissionais que iam desde a cozinha à estética, da moda à robótica, e gostamos do orgulho com que nos falavam, explicando a localização da escola, os cursos e aquilo que faziam em cada um.

Num outro pavilhão, surgiam as universidades e institutos politécnicos. Os stands, imponentes, promoviam com folhetos entregues por alunos, as várias faculdades e ou cursos em oferta, por entre muita luz, som e cor. Aqui a luta é séria. Num dos extremos deste pavilhão, surgiam o exército, a força aérea, as tropas especiais e as forças de segurança. Todas, sem exceção, e dada a sua capacidade logística, trouxeram argumentos de peso à exposição, que faziam a delícia dos adoradores das fotografias “mete-te mete inveja no insta”. É uma experiência a repetir, até porque entendemos poder abrir horizontes a quem anda indeciso com o seu futuro.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

5as Acústicas #1.

sexta-feira, 1 de março de 2019 · Temas: ,

Com o palco montado numa decoração de improviso, deu-se a primeira semana das 5as Acústicas. Esta, que decorreu ainda em fevereiro, abriu um mês de março de muita cantoria e dotes vocais. Curiosamente, e pela primeira amostra, foram os mais pequenitos do 8º ano que saltaram corajosamente para o palco, a par de um “ferrinhos” de turismo e outros de eletrónica, cujos dotes musicais necessitam de uma bela revisão. Compensa a imensa boa disposição que incentivou incautos ao palco.

A escola, as escolas, necessitam de cantar; necessitam de atividades desportivas, plásticas, musicais que unam os alunos àquele maravilhoso espaço que, afinal, é deles e por eles. Por isso, prometemos continuar a dar música e publicar fotos.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Avenida das Letras.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 · Temas:

Demos o primeiro passo na toponímia da ESL, colocando a primeira placa no corredor paralelo às vitrines da Biblioteca da escola. E se já entendíamos a ideia como pedagogicamente boa, a conceção gráfica e o enquadramento do verde escolhido para o fundo de cada placa, baseado nas placas de toponímia da Cidade do Porto, arrecadou unânimes elogios sobre o bom gosto.

O próximo passo é definir, consensualmente, os topónimos a atribuir a uma série de corredores e “largos”, definidos a ser batizados nesta primeira fase experimental. Os objetivos, ambiciosos, passam por aferir se o topónimo entra no “vocabulário” escolar, evitando-se a dificuldade de georreferenciar um determinado espaço da escola. Por outro lado, procura-se humanizar a escola, ou seja, de um simples e extenso corredor com vitrines e janelas, a uma Avenida das Letras.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

OPE 2019: uma árvore solar!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 · Temas: ,

Começamos pela declaração de interesses: estamos a apoiar uma candidatura ao OPE do AEL, que pretende contruir com a colaboração do Curso de Eletrónica da ESL, uma árvore de carregamento usb, com wifi à mistura. Mas não é só… o projeto pretende comprar um aquário gigante para a Biblioteca da ESL, uma máquina de setas e colocara sofás e colunas de música nos espaços verdes da secundária.

Todo o projeto deverá estar estabelecido até maio deste ano letivo, por isso, inteira-te das nossas ideias e objetivos, e clica na imagem anterior para abrires o nosso programa. Ah! Não te esqueças de votar em nós no final do mês de março!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Temperatura em 24 de fevereiro.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019 · Temas: ,

Impressiona o valor de temperatura máxima registada pela estação meteorológica da ESL: 24,7ºC, registado pelas 14:40h do dia 24. E impressiona porque ainda estamos no inverno, a cerca um mês distância de uma primavera que, no seu início, costuma ser fria. Deste modo, e com o correr dos tempos, algum do adagiário ligado ao clima terá de ser revisto, pois “em fevereiro, chega-te ao lameiro” está a cair em desuso, em prol de “fevereiro quente, traz o diabo no ventre”. É mais do que certo…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Toponímia da ESL.

domingo, 24 de fevereiro de 2019 · Temas: ,

Desafiamos a Direção do AEL a deixar-nos batizar as dezenas de corredores e “largos” do vasto edifício da Escola Secundária da Lixa. É uma ideia antiga, mantida na gaveta, mas que agora se torna premente, com a visita dos alunos e professores estrangeiros, pertencentes ao programa Erasmus, já em maio próximo, pois não queremos que nenhum se perca nos longos corredores. Por isso, há muito a fazer, mas contamos com uns belos ajudantes do Curso de Turismo, que estão a tratar da toponímia das “ruas, avenidas, largos e praças” da ESL.

Afinal, quem ainda não teve dificuldades em designar um determinado corredor ou espaço da ESL? Todos! Recorremos, na maior parte das vezes, ao: “- Ao lado de…” ou “- Que vai da à…”; enfim, nada geográfico. Daí esta ideia de fixar tabuletas de acrílico (tipo menus de café), no alto das paredes azulejadas do recinto.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Alfaite: os óculos redondos.

· Temas:

Os óculos redondos voltaram a estar na moda. Sendo um rebuscamento dos anos 60 e 70, quando artistas e cantores famosos os usavam, estes óculos oversized misturam o vintage com a modernidade, e assentam bem em qualquer rosto. Chegaram em força, são de várias cores e prometem criar uma tendência.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Quintas acústicas na ESL.

sábado, 23 de fevereiro de 2019 · Temas: , ,

Desafiamos a Associação de Estudantes e vamos oferecer à escola uma atividade que certamente fará muito sucesso, ou de música não se tratasse. Durante o mês de março, às quintas-feiras, vais ter palco para cantar, tocar ou simplesmente improvisar um karaoke num palco junto ao bar da ESL. Traz uma guitarra, uns amigos e durante os intervalos, mostra o que vales. Vais ouvir aplausos!

Todas as sessões serão registadas em vídeo, que posteriormente será publicado no Geopalavras e gravado um CD. Quem sabe não há aí uma estrela por revelar?

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma visita da primavera.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019 · Temas: ,

O estado de tempo quente e seco que ocorre há dias em Portugal Continental e grande parte da Europa Ocidental, tem como responsáveis dois anticiclones que bloqueiam os sistemas frontais atlânticos e polares. Com efeito, e analisando a situação barométrica no mapa em baixo representada, aliada à direção e intensidade do vento, é possível observar que a depressão centrada a noroeste dos Açores é impedida do seu curso normal pelo anticiclone que se centra a norte da Península, nas Astúrias, e um outro, mais vasto, localizado no centro da Europa.

Estes dois centros barométricos em conjugação, ausentam grande parte da Europa de precipitação e, em Portugal Continental, criam uma corrente de ar proveniente de sudeste, que depois de cruzar a Península na oblíqua (SE-NO/NNO), provoca um estado de bom tempo, seco e de temperaturas elevadas para a época do ano.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Confiar.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 · Temas: , ,

Uma das mais impressionantes experiências sensoriais que já experimentamos deu-se em Budapeste, a propósito do programa Erasmus, quando visitamos uma exposição onde simulamos não ver. Durante uma hora, num enorme pavilhão completamente escuro, onde se simulavam divisões do quotidiano como um café, salas, etc., fomos, em grupo, submetidos a percorrê-las, apelando aos restantes sentidos e a uma voz de comando que nos guiava. Percebemos, com experiência, o quanto é importante ouvir e dialogar, e que só com esta prática básica da inteligência vencemos obstáculos.

As turmas escolares são um esboço da sociedade: pequenos espaços de descoberta do outro; do ouvir e do falar; da assertividade. Devem ser um embrião social que prepara para uma sociedade que contacta e procura entender, independentemente de concordar com tudo. Se assim não fosse, vivíamos isolados.

Daí esta pequena atividade na fria manhã de hoje: baralhamos a turma, voltamos a dar, criamos 4 grupos inusitados que tiveram de guiar um companheiro com uma venda nos olhos ao longo do recinto da escola. Trabalhamos a confiança, o diálogo, assertividade e um interação inédita entre elementos de uma longa turma.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Os quatro fantásticos.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 · Temas: , ,

Achamos muito piamente que a escola está urgentemente necessitada de heróis que deem o exemplo à malta que se esquece dos restos do pequeno-almoço pelas mesas, faz dos jardins um vazadouro e a reciclagem é uma miragem. Assim desafiamos os nosso selecionados à Roménia, para puxarem dos seus poderes criativos, “super” ou não, e nos contar uma história em BD, em jeito de fotonovela, que apele à resolução daquelas maldades perpetradas por vilões que se confundem na multidão da ESL, sobretudo nos seus tempos livres.

Ao parece, a primeira parte da história, totalmente passada na ESL, está quase pronta, será fixada no Erasmus Corner e aqui no Geopalavras, e terá continuidade na Roménia, com um epílogo em local por definir. Ficamos à espera, até porque os vilões do ambiente escolar, e não só, andam há muito, muito impunes!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Upa! #7.

· Temas: , ,

A entrevista que publicamos em mais um episódio do Upa!, contribui para afastar algum cinismo que possa prevalecer perante a geração que se nos afigura nos bancos de escola. São dispersos, parecem querer tudo e nada querer, irritam, mas são gente ávida de ação, de iniciativa, que muita das vezes esbarra na enorme distância geracional que existe, cada vez mais, entre o corpo docente e estudantil.

Por isso, a importância deste objeto: a entrevista do Tiago e do Bruno, presidente e vice-presidente da Associação de Estudantes da ESL que, cheios de ideias e ideais, tornam estes 15 minutos num interessante objeto de análise.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Valores médios 2012-2018.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019 · Temas: ,

Compilamos os dados de temperatura média e os totais de precipitação mensal ocorridos entre os anos de 2012 e 2018, e criamos um gráfico de valores médios que, pelo intervalo de tempo que abrange, não se poderá denominar de termopluviométrico. Para tal, teríamos de representar dados correspondentes a 30 de observações; tal não é o caso.

Contudo, e apesar da reduzida dimensão temporal, é já possível observar algumas curiosidades: os meses mais chuvosos registados pela estação meteorológica da ESL, são janeiro, fevereiro, março e novembro. Janeiro apresenta uma precipitação média na ordem dos 219 milímetros. O mês mais seco é julho, com uma média de precipitação de 6 milímetros.

A temperatura segue o padrão dos climas temperados, com um inverno fresco e um verão quente. Há, no entanto, e neste caso, uma pequena curiosidade: a média de temperatura do mês de fevereiro é ligeiramente inferior (9,5ºC) há que é registada em janeiro, que apresenta um valor médio de 9,6ºC. Os meses mais quentes são agosto e julho, com temperaturas médias de 24ºC e 23ºC, respetivamente.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O amor segundo o D.

O dia dos namorados numa escola é vermelho e cintila. Neste dia, a música arredonda-se, molda-se em forma do coração que, por estes dias, bate muito acelerado. A culpa é do S. Valentim, o artífice da paixão, que faz esgotar rosas na florista e corrupio na secção de chocolates do supermercado mais próximo.

A propósito, fizemos uma perguntas aos nossos queridos alunos do dez D, sapientes do assunto, que acanhadamente lá responderam às nossas provocações. Trata-se de um belo registo que, pelo valor atual e futuro, decidimos incluir na rubrica Upa!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Diferenças subtis.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019 · Temas: ,

Já começamos a ter resultados visíveis com as fotografias semanais que temos vindo a tirar ao Décimo D de Humanidades, desde o início do ano letivo. As fotografias têm uma cadência semanal, são obtidas exatamente no mesmo local e à mesma hora, todas as semanas, salvo duas exceções que, são por si só, motivos. As fotografias perseguem um objetivo: a evolução e a diferença

Analisando as fotografias acima foto-montadas, é já possível observar algumas diferenças no tamanho dos alunos. O Tiago, focado em outubro, e mais recentemente em janeiro, evidencia uma diferença de tamanho considerável para o espaço temporal. É também possível observar as subtis mudanças de tamanho do cabelo, rosto e, como nos apraz, das vestimentas e artefactos garridos e sazonais. A continuar.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Pataco, Escobar & Companhia…

domingo, 10 de fevereiro de 2019 · Temas: , ,

Estávamos a finalizar o módulo, o extenso módulo sobre a agricultura, quando surgiu a ideia de levar à paródia, algum do bolor acumulado nas semanas antecedentes. Ora, cremos ter conseguido um resultado saboroso, passado algures num latifúndio alentejano, onde a asa açoriana da família Grilo reencontrou a sua costela alentejana, migrada há muito para o «contenênte». Vejamos…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Mais Europa segundo o F.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019 · Temas:

A nossa ideia inicial não era criar uma atividade onde se proferisse um conjunto de curiosidades sobre o nosso continente, mas sim opiniões sobre a vida quotidiana em Portugal e, por consequência, na Europa. Mas o que ficou não nos desagrada; permite despertar da curiosidade a quem grava, e sobretudo a quem vê, para um mundo da geografia, dos pormenores históricos e demográficos, de um continente sem igual.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Sobre o passado mês de janeiro.

· Temas: ,

Os valores de precipitação registados pela estação meteorológica da ESL, mostram que janeiro foi um mês anormalmente seco. Registou-se precipitação em apenas 8 dias, 3 dos quais num valor abaixo dos 5 milímetros. Pouco, portanto, comparativamente aos valores registados em anos passados, que se apresentaram num valor em dobro.

Quanto à temperatura, não se verificaram grandes oscilações, sendo o valor médio do mês de cerca de 10,6ºC. Ainda assim, a ausência de chuva, causada por uma corrente de leste, condicionou as temperaturas mais baixas do início do mês, relativamente à segunda quinzena de valores mais amenos.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A Europa segundo o G.

domingo, 3 de fevereiro de 2019 · Temas: , ,

Um blogue multifacetado como o Geopalavras, implica rubricas que o caracterizam e pautam. Nós temos várias: o Támal, o Alfaiate da Lixa, os Hiperlapses, as análises climáticas, ou até os Objetos estranhos em lugares inusitados. Esta que agora repescamos, 10 Segundos sobre a Europa, conta já com cinco edições em cerca de 8 anos de existência. É velhinha, mas nunca fez tanto sentido como no conturbado contexto europeu da atualidade e, por isso, é bem mais do que um simples exercício plástico, e uma forma de redescobrir a sorte que é viver no nosso continente.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma ideia de Cidadania.

· Temas: ,

Surgiu neste ano letivo uma nova disciplina no currículo do ensino básico e secundário, chama-se Cidadania e, pelo seu cariz prático e congregador em torno de uma ideia ou projeto materializável, faz lembrar a saudosa Área de Projeto, que tanto galvanizava os alunos. Sendo semelhantes, mais papel menos papel, a Área de Projeto traduzia-se em horas atribuídas a um professor e notas que se plasmavam na pauta de final de período. Em Cidadania inventam-se horas e o rosto do responsável dilui-se na figura do Conselho de Turma.

Ora, por sermos professores de um 10º ano de escolaridade do ensino regular, fomos desafiados a uma ideia de Cidadania, que passamos a descrever e que pode até motivar a outras ideias similares. Trata-se e um microfilme de 4 partes, de enredo simples e cenas minimalistas, sob o tema da discriminação. Chama-se “Maria”, que é também o nome da personagem principal.


Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Matraquilhos.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019 · Temas:

Numa altura em que se promove o Orçamento Participativo das Escolas correspondente ao corrente ano letivo, nada como destacar a grande aquisição do projeto vencedor do ano passado, uns matraquilhos. Vieram só neste ano, mas são já a nova diversão da escola. Entretêm miúdos e graúdos, provoca corridas para tomar a vez, e afina as fintas de pulso. A escola, as escolas, necessitam de muitos matraquilhos e talvez de um verdadeiro espaço para os alunos, onde aqueles possam ser jogados e convividos. Afinal, uma escola é uma escola, tem ritmos próprios e necessidades específicas; é assim no ensino, é assim no convívio.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Estado de tempo que trará chuva.

domingo, 27 de janeiro de 2019 · Temas:

Depois de uma curta pausa na chuva, ei-la de volta já a partir de amanhã. Segundo a previsão do Weather Underground, sítio da Internet para o qual a estação meteorológica da ESL debita os seus dados, a semana será chuvosa, com especial incidência a partir de meio da tarde de quarta-feira até ao final sexta-feira.

Para aqueles três dias, a probabilidade de precipitação ronda os 100%, e estão previstos cerca de 100 milímetros de chuva. A previsão para o próximo fim de semana e o início da semana seguinte, é de muita nebulosidade sem chuva.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Vinte quilómetros de mar.

Sabíamos que o caminho era sempre para sul, sabíamos do sol pleno, e imaginávamos o mar a bafejar a brisa. Aconteceu; mas não imaginávamos o calor inusitado que sentimos, mesmo diante da chuva que se adivinhava no horizonte. Fez-se sem custar, e ganhamos o risco de um sábado de inverno, que não o foi, e para mais estava adiado há demasiado tempo. O balanço fez-se do seguinte modo: há urgência num novo, se possível, com o intimismo e cumplicidade deste.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Upa! #5.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019 · Temas: ,

Educar é muito mais do que uma simples transmissão de conhecimento, é uma relação de confiança que se estabelece. Esta pequena entrevista, pelo modo cúmplice como correu, só foi possível por termos visto estas meninas crescer diante dos nossos olhos, e reconhecer nelas parte da nossa extroversão e também rigor. Se calhar, até nos conhecem melhor do que muita gente; sabem onde pisar, quando brincar, quando trabalhar e, por isso, sabe muito bem uma relação assim.

Revista a gravação, arrependemo-nos de não a ter prolongado durante uns imensos minutos. Perguntamos o básico, mas se tivéssemos optado pelo rebuscado, também surgiria resposta, tal o grau de descontração de uma geração que trata a câmara por tu e de certo modo, vê-nos como alguém semelhante a um par. 

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

À romena.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019 · Temas: , ,

Só agora, com a melancolia de janeiro, encontramos o tom certo a dar às dezenas de fotos que  a equipa que selecionamos para nos acompanhar à Roménia (Henrique, Mariana, Rita e Érica), tirou nos jardins da ESL. São o seu primeiro ato, na verdade, o seu cartão de apresentação, que surge num tom sóbrio e quase sombrio.

E se as muitas fotos de capa preta e colares mágicos, são sintoma de ousadia e poder de iniciativa, a imaginação bem estruturada, parece ser também uma das suas virtudes. Na verdade, reúnem os predicados que exigíamos durante a seleção, e os alunos que os escolheram souberam lê-los nestes “seres” mágicos e algo sombrios…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Ribeira de Borba.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019 · Temas:

Muito perto da nossa escola e da Leonardo Coimbra, há um certo vale que interessa explorar; é o vale da Ribeira de Borba. Encravado entre a Lixa e o Seixoso, é terra de solos férteis e água abundante, declives suaves e leiras, onde a vinha começa a tomar lugar ao eucalipto, juntando parcelas e transformando a paisagem estagnada há décadas.

Visitamos o vale em mais uma “turística” saída de campo e, a propósito da agricultura, tocamos o sino da cuidada capela de S. Roque, por sinal, santo popular na região, conversamos com as gentes locais, observamos, descrevemos e desenhamos a paisagem, e refletimos que as aulas podiam ser sempre assim.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Intervalo.

domingo, 20 de janeiro de 2019 · Temas: , ,

Entenda-se intervalo como ironia, entender-se-á o micro clip realizado à saída de uma aula. É assim hoje em dia pelos corredores das escolas: dezenas de alunos agarrados ao telemóvel a ver o que já viram, a jogar o que já jogaram e, suprema ironia, o sol lá fora a passar ao lado. Sinal dos tempos.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Geografia na rua #2: relógios de Sol.

· Temas: ,

Um dos primeiros artigos do Geopalavras, a propósito das sazonais alterações da hora, aborda a história do relógio, ou melhor, dos relógios. Referimos, então, que este instrumento teve o seu primeiro esboço há cerca de 3500 anos atrás, e baseava-se na projeção da sombra do Sol, projetada de um pilar (ou objeto vertical), num plano horizontal graduado em tempo. Ou seja, um relógio de Sol.

Ora, o Sol abunda, e os restantes materiais para a elaboração de um relógio de Sol são simples e pouco dispendiosos, pelo que vamos avançar para o Projeto 2 da Geografia na rua. Investigamos, lemos bastante informação e, ao invés de apostar numa sofisticada versão deste relógio, optamos por uma versão básica, pois o intuito é sensibilizar e não criar especialistas, sem fugir ao âmbito do programa de Geografia A.

Criamos um pequeno guião de trabalho, que refere materiais e a metodologia a usar nesta atividade. Para além da sua vertente plástica, tão necessária… com ela esperamos possibilitar a compreensão do complexo movimento do astro-rei, das sombras por ele causadas, e a sua influência na arquitetura, por exemplo, da ESL.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma tarde entre campos.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019 · Temas: , ,

Descemos a Vila Cova com a ideia de olhar a agricultura para lá dos livros, dos esquemas e apontamentos. Fomos à deriva, nunca perdidos, e sempre com o fito nos prédios da Vila, cidade, que se desenvolveu mais acima, em torno da estrada que liga Fafe ou a sede de concelho. O tempo urgia.

Uma tarde entre campos022

A terra sempre foi de encruzilhadas, de gentes de diversas paragens que ali se cruzaram e até fixaram, por isso avançamos sem norte, mas com convicção do rumo. Vimos prados, lameiros, água corrente, agricultura moderna e tradicional; vimos tradição cruel, e também o burlesco arame  farpado, incompatível com o bucólico.

O caminho culminou na solitária capela de S. Roque. O santo, protetor do gado contra doenças contagiosas, tratamento de animais e cães, não impediu o brandir da faca e do cutelo do esventre pela manhã, numa tradição que talvez esteja na hora de deixar de o ser. Foi muito o que aprendemos; vamos repetir.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O vento e a sensação de frio.

domingo, 13 de janeiro de 2019 · Temas: ,

O frio que nos tem afetado nos últimos dias deve-se a uma massa de ar continental e seca, motorizada por um anticiclone que se centrou no norte do Golfo da Biscaia. Mas, se o frio perdura há mais de uma semana, é nos últimos dias que de desconforto se agravou, dado o aumento da velocidade e intensidade do vento. Esta aliança entre o vento e o frio tem um nome técnico, wind chill, e é passível de ser calculada, com recurso aos valores daquelas variáveis.

Wind Chill - MeteoESL 11 janeiro 2019

Por exemplo: no passado dia 11 de janeiro, pelas 4:29h, a temperatura medida na estação meteorológica da ESL foi de 3,8ºC e o vento registava uma velocidade de 28 kms/h. Aplicando a fórmula do arrefecimento por via do vento (wind chill=13,12+(0,6215*T)-(11,37*V^0,16)+(0,3965*T*V^0,16), a sensação térmica foi de -1,3ºC.

Ou seja, no dia 11, durante toda a madrugada e manhã, o vento soprou com intensidade e veloz, provocando sensações de temperatura inferiores às medidas pelo termómetro da estação meteorológica da ESL.

Para elaboráramos o gráfico anterior, criamos uma folha de cálculo para calcular o wind chill do dia 11 de janeiro. Ora, como tivemos dificuldade em encontrar algo semelhante na Internet, construímo-la e partilhamos para quem a queira dar uso.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Renasceu o Támal!

terça-feira, 8 de janeiro de 2019 · Temas:

Quando desempoeiramos este projeto, recordamos muita gente que neste momento já se constitui como a geração da atual sociedade. Dizemo-lo, porque entendemos que uma geração só se assume quando pauta a sociedade com iniciativas, ora devido à sensibilidade e predisposição, onde nós desempenhamos um papel, ora devido ao cargo profissional que ocupa. É por isso não nos cansamos de desenvolver iniciativas como este Támal, cujo lema, replicamos desde 2011.

 Támal 2019

«Conheces aquela sensação de te apetecer berrar, berrar bem alto e em todas as direções para que o mundo ouça. Ouça que aquela árvore não devia ter sido cortada, que aquele cão não devia ter sido abandonado, que o ribeiro está cada vez mais imundo, que o lixo abunda, que a água se gasta e ninguém se importa com isso…

Agora tens a oportunidade de te fazeres ouvir e quem sabe mudar o mundo! Pega na máquina e fotografa o que Támal. Se achares que não chega, faz uma reportagem em vídeo e mostra-nos os que está mal. Entrevista as pessoas, procura culpados e arranja soluções. Faz-te ouvir!»

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O modulador digital.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019 · Temas: ,

Não, não é um título de um filme de ficção científica, é apenas a última aquisição da equipa Erasmus da ESL. Trata-se de um aparelho que permite replicar um sinal de vídeo pelo universo das televisões do edifício da ESL, partindo de uma fonte que poderá ser um PC, uma câmara, ou até um telemóvel. É um sonho antigo, até porque a Parque Escolar, aquando da construção da escola, deixou-nos a pré-instalação, e desde então que pedíamos por este aparelho…

Vlad Modulador

Ora, o Erasmus pensou no assunto, e numa decisão a três, decidimos usar uma parte do nosso financiamento na aquisição deste equipamento que reverterá para escola. Ficará centralizado num estúdio que a ESL possui, possuirá uma tela chromakey e um PC com uma placa de aquisição de vídeo (que também adquirimos) para, por exemplo, realizar emissões de vídeo em direto e ou transmitir conteúdos próprios e realizados pelo universo da nossa escola. Imaginem um street basket em direto na TV…

Esquema Maodulador

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Corrente de leste.

domingo, 6 de janeiro de 2019 · Temas: , ,

Ora aí está o verdadeiro frio de inverno! Veio e está para durar dado o estacionamento de um anticiclone sobre a Normandia. Aquele senhor adora “passear” e estacionar no Golfo da Biscaia, como é o caso. Quando se lembra, desaparece para sul, deixando, nesse caso, que as baixas pressões atlânticas amenizem a temperatura e transportem chuva. Mas, enquanto ali permanecer, a sua ação bloqueará a passagem das depressões e sistemas frontais; chuvinha, portanto!

Imagem1

Como é fácil de observar na carta sinótica, as correntes de massa de ar provindas de leste nesta altura fria do ano, significam uma coisa: frio e baixa humidade. É, na verdade, uma situação meteorológica muito típica do nosso inverno (continental), que se alterará apenas quando o anticiclone perder força e ceder às correntes de oeste, que trarão chuva e mau tempo. Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Dezembro de 2018.

· Temas: ,

Dezembro passado foi um mês de temperatura amena, atendendo ao período do ano em que se enquadra. As temperaturas médias oscilaram em torno dos 13ºC, levando a um valor médio mensal de 13,9ºC. O valor máximo de temperatura registou-se no dia 4 de dezembro, com 19,2ºC, e o  valor mínimo atingiu os 5,7ºC no dia 31.

Temperatura média e precipitação dezembro 2018 MeteoESL

O valor total de precipitação do mês foi de 115,8 mm, concentrada sobretudo entre os dias 12 e 21 de dezembro. Dia 15 foi o mais chuvoso, com cerca de 31,7 mm.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Sábado Diferente: 20 quilómetros à beira-mar.

sábado, 5 de janeiro de 2019 · Temas:

Passadas as festas, apostamos nas caminhadas. Gostamos muito de andar a pé, inclusivamente, perdermo-nos conscientemente, conquistando o vagar necessário à interpretação que a paisagem, sempre rendilhada, requer. Por isso, vamos repetir um belo trajeto, que realizamos há cerca de 3 anos, entre Vila do Conde e Matosinhos, contrariando a toada rumo a norte, em direção ao apóstolo Tiago.

O trajeto do mapa acima publicado, é aproximado àquele que pretendemos realizar, que se desenvolve mesmo junto à costa, nos passadiços sobre as dunas. Faremos pausas para pequeno almoço, almoço e café. Assim, temos dois planos em hipótese para este Sábado Diferente, que será definido em função do número de alunos inscritos; para já temos uma série de professores caminheiros na calha:

  • Plano A (comboio + metro):
  • Encontro na estação de caide pelas 8:58 – S. Bento // estação de metro da Trindade – metro até Vila do Conde (mosteiro) // almoço Angeiras // metro em Matosinhos (antes ou depois do jantar) – Baixa do Porto – regresso.

  • Plano B (automóvel particular + metro):
  • Encontro na estação de 24 de agosto pela 10h (Porto) metro até Vila do Conde (mosteiro) // almoço Angeiras // metro em Matosinhos (antes ou depois do jantar) – Baixa do Porto (24 de agosto) – regresso.

O plano A permite que mais alunos participem; o plano B é o menos cansativo. A decisão será tomada por nós, perante o número de alunos. Se forem em suficiência, avançamos para o Plano A. Se forem poucos, combinaremos um esquema de boleias e divisão de despesas, e avançaremos para o Plano B. A lista de inscrições online está aqui e a folha de autorização será dada em mão. 


Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A romena.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019 · Temas:

Apesar teremos estabelecido em 3 o número de alunos a levar à Roménia, conseguimos levar mais um, a Rita! Proporcionou-se por termos obtido resposta afirmativa da Roménia, país que nos vai acolher em março próximo, e pela alteração do percurso de viagem, Madrid e não Amesterdão, que nos permitiu equilibrar as contas e conseguir conquistar mais um aluno. Foi um excelente negócio!

A romena

Quando telefonamos à Rita, que de imediato reconheceu a nossa voz e confessou que “não acreditava na novidade”, concedemos-lhe um presente de Natal quase certeiro na data e impossível de igualar. E se a Rita ficou feliz, nós, professores responsáveis por este projeto, não ficamos menos. Afinal, o projeto é por eles, não por nós!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Internet: 40% é falso.

terça-feira, 1 de janeiro de 2019 · Temas: ,

O site Techspot percorreu, há dias, um artigo da New York Magazine que afirma que a maior parte da internet (incluído os internautas) é falsa. O artigo refere que cerca de 40% do tráfego é falso, no sentido de não serem realizadas por humanos, mas sim por scripts de software, bots, que podem substituir as ações humanas a uma velocidade muito superior, espalhando spam, fazendo buscas automáticas, analisando informações de arquivos e servidores, numa velocidade extremamente alta e muito superior à capacidade humana. O uso mais recente de Internet bots foca-se na publicidade, como o Google Adsense, que exibe a propaganda mais adequada a cada pessoa dependendo de seu comportamento na Internet.

Sistina Vlad

O artigo refere que já em 2013 os bots estavam tão difundidos no YouTube, que os responsáveis ficaram com medo que os seus algoritmos começassem a interpretar o comportamento dos bots como tráfego humano e o humano como bots. Na verdade, a prevalência de bots na internet não é segredo, mas levou ao ponto de não se saber o que é real na internet, considera o jornalista Call Jeffrey, autor do artigo.

Mas, este tráfego falso assenta também no crescimento de click farms, um serviço que garante a obtenção de um determinado número de visualizações por um preço. As empresas são ávidas de visualizações e clicks, de modo a exponencialmente promoverem os seus produtos. Inclusivamente, o mundo político já se rendeu a esta arma de molde social, lançando propaganda e boatos através das redes sociais, ou comprando informações de cidadãos e adaptando o seu discurso em função das informações obtidas.

Nós próprios contribuímos para o embuste crescente, publicando fotos e fotos, cujo objetivo é obter likes. Da mesma forma, clicamos compulsivamente no botão like da postagem de outra pessoa, mesmo quando não lemos o que ela diz, apenas para continuarmos a ser apreciados por ela.

A New York Magazine conclui que o remédio exigiria reformas culturais e políticas em todo o mundo, pois vivemos na Internet das bot de pessoas falsas, cliques falsos, sites falsos e computadores falsos, onde a única coisa real são os anúncios.


Fontes: NYMAG // Techspot // Wikipédia // White Ops

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This