Leonardo Coimbra pelos mares do Algarve.

quinta-feira, 28 de abril de 2016 · Temas: , ,

«O homem comum vive numa concha, formada dos seus hábitos, depósito dum longínquo arranjo social. Não se interroga, não pressente que, em torno dessa concha, marulha um infinito Oceano, removido de infinitas actividades e formas».

- Leonardo Coimbra – A Alegria.

Algures nos mares do Algarve cantou-se prosa como se poesia fosse, a bordo de um espaço inédito, balançante e acanhado, apropriado aos novos navegantes do mundo, poetas e pensadores do futuro. Que ousem sair da concha e vencer o “arranjo social”.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Algarve.

· Temas: ,

O extremo sul continental do nosso pequeno país é definitivamente um mundo à parte! O clima, a paisagem, as gentes e todo aquele mundo profundamente turístico, tornam o Algarve numa num exercício de descontração impossível de evitar. Parece que ali ninguém trabalha, e chega a ser desconcertante a dificuldade em contactar com as genuínas gentes da terra, invadida que está de rostos descuradamente marcados pelo sol, ou por portugueses de outras latitudes, que ali agendam o recreio e as pequenas, e necessárias, loucuras de verão.

Alg

Ora, loucos foram os três dias do fim de semana mais longo de abril, passados na companhia de muitos alunos do nono ano de escolaridade, cerca de 160, de três escolas diferentes, pertencentes a outros tantos concelhos (Guimarães, Famalicão e Felgueiras - Lixa). Isto tudo, numa enorme organização dos professores de EMRC das respetivas escolas, que ofereceram aos alunos umas Olimpíadas de Moral, atividades desportivas e culturais, e muito, muito divertimento!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Estórias.

terça-feira, 26 de abril de 2016 · Temas: ,

Não faria absolutamente sentido nenhum se ensinássemos apenas Geografia, por isso, e muitas vezes, misturamos ingredientes exóticos na fórmula de ensino, obtendo resultados difíceis de mensurar, mas que adivinhamos ser bastante válidos e perenes.

EMRuralGeopalavras2016Daí esta nossa obsessão com as “Estórias do Mundo Rural”, um teatro que nos apresenta quatro contextos geográficos e agrícolas diferentes, onde quatro famílias desenvolvem quatro estórias improváveis, onde se conjugam conceitos e conteúdos geográficos e, como num cliché, acabam com um fim moralista.

A retrospetiva contabiliza-nos já cinco edições, num espaço temporal de oito anos, e com algumas nuances à mistura. Os cenários e as personagens estereotipadas de então, são as mesmas que provocam, desta feita, os alunos de oitavo ano, que nos parecem ter uma certa queda teatral ou, pelo menos, e connosco, perceberam que o caminho não se reduz a um questionário cotado em percentagem. Por isso, estamos esperançados nos resultados desta atividade, que aqui no Geopalavras se fará eco, tal com em edições passadas.

Por último, deu muito trabalho para pesquisar estas relíquias… mas aqui estão elas, ordenadas de uma forma cronológica (do mais recente para o mais antigo). São coisas felizes do passado, motivadoras  do presente. Aproveitem!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Um estudo sobre o comércio central do Porto.

sexta-feira, 22 de abril de 2016 · Temas:

Surgiu nesta última semana um estudo sobre a geografia do comércio da zona central do Porto. Foi elaborado pela Predibisa (uma consultora imobiliária) e a Capital Urbano (gestora de ativos imobiliários), e nele são delineadas as principais áreas comerciais daquela zona: uma prime, outra consolidada e duas emergentes.

Novas áreas de Comércio do Porto

O estudo define também um limite máximo exterior da «área principal de comércio do centro do Porto», onde o comércio se assume com maior relevância, alimentado pelos transeuntes, moradores ou turistas.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Os choupos mal amados.

quarta-feira, 20 de abril de 2016 · Temas: ,

E foi hoje, mesmo antes do primeiro toque da manhã, que os técnicos camarários, de motosserra em punho, cortaram pela raiz  o que sobrava do decepado tronco dos três choupos brancos (Populus alba) que se enraizavam nos patamares cimeiros da escadaria pública que dá acesso à rotunda próxima da ESL.

Choupo Branco

Os malfadados eram da mesma espécie daqueles que durante a Páscoa também vieram abaixo, mas que moravam dentro do recinto da escola. Resta assim apenas um sobrevivente, plantado na via pública e junto ao extremo nordeste do recinto da ESL, que decerto terá os dias contados, pois padece do mesmo azar dos restantes: a evolução biológica levou esta espécie a disseminar as suas sementes numa espécie de algodão, que se espalha através do vento e imita um nevão, chegando a ser alérgico e incómodo.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Três ferramentas geográficas.

terça-feira, 19 de abril de 2016 · Temas: ,

O ensino da Geografia, ou a simples descoberta geográfica, só é enfadonha se o quisermos que seja. Há uma imensidão de ferramentas geográficas, gratuitas e colaborativas, disponíveis na internet que podem motivar e ou ampliar o conhecimento da paisagem.

Global Forest Watch

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Carbyne e Terra Bella, tecnologia a todo o vapor.

domingo, 17 de abril de 2016 · Temas: ,

Quando há tempo e conseguimos ler alguns dos blogues que nos trazem novidades constantes do mundo da ciência e tecnologia, rara é a vez que não nos causam um certo espanto, pela criatividade que a ciência imprime em quase tudo o que desenvolve. É o caso do “carbyne”, um material criado por investigadores da Universidade de Viena, que é mais resistente do que o grafeno e o próprio diamante. Daqui a uns anos, quando for produzido em escalas industriais, revolucionará, certamente, muitos setores de atividade económica.

Mas se o “carbyne” é fruto da ciência e de muita criatividade experimental, o que dizer do Terra Bella, a divisão de satélites da Google, que se dedica ao desenvolvimento de satélites que permitirão obter imagens em tempo real do nosso mundo a partir do espaço.

Ora, se o Google Earth ainda é surpreendente, imaginem ver uma imagem de satélite com a vossa roupa estendida e a secar na varanda ou terraço, há “coisa” de meia hora…


Fontes: http://www.gizmag.com/carbyne-properties/29393/  // http://futurism.com/first-direct-proof-stable-carbyne-worlds-strongest-material/ //  http://abertoatedemadrugada.com/

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O culpado destes dias de primavera chuvosa.

quarta-feira, 13 de abril de 2016 · Temas: ,

A chuva que não nos larga e promete por cá ficar mais uma semana, deve-se a uma baixa pressão centrada a noroeste de Portugal Continental,  que se tem fartado de “aspirar” ar gelado, de latitudes bem mais a norte, que faz viajar pelo Atlântico e atingir a nossa queridíssima Península Ibérica.

12Abril2016_13Abril2016

Ora, isto no inverno, ainda escapa, mas na primavera, e depois de uma temporada tão chuvosa, custa. Estamos todos a mirrar a suspirar pelo sol que nos afaga a pele e, na maior parte das vezes, faz avançar com outra disposição. Sol, sol, sol, sol!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Apostas para o exame nacional de Geografia 2016.

terça-feira, 12 de abril de 2016 · Temas: ,

Por entre tanto mundo para explorar, até nos esquecemos da nossa essência. Dai este artigo, bem ligado às raízes do Geopalavras, que desbrava pistas de estudo para o Exame Nacional de Geografia deste ano letivo, e oferece algumas apostas sobre os temas que possam vir a ser contemplados nas suas duas fases.

Imagem3

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Arrrrrggggghhhhhhhhh!

sexta-feira, 8 de abril de 2016 · Temas:

Pior é quase impossível! O estado de tempo previsto para os próximos 9 dias para a região da Lixa e não só, trazem chuva, temperatura baixa e até trovoada! Os dias de sol pleno quase que se contam pelos dedos e a temperatura acima dos 20ºC é um luxo do passado.    

PrevisãoETLixaESL8a17abril2016

Demos uma pequena volta pela Europa e, pior do que nós, só mesmo na Noruega, e ainda assim com menos chuva. Para esta semana, o centro da Europa oferece vários dias solarengos e, inclusivamente, nos Balcãs, Gregos, Macedónios e Albaneses vão deliciar-se com temperaturas verdadeiramente primaveris, a rondar os 22ºC. Arrgggggggggghhhhh!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Seres estranhos, locais inusitados.

quarta-feira, 6 de abril de 2016 · Temas: ,

Na verdade, este artigo não traz um anúncio mas sim uma iniciativa que nasceu no ano passado, há cerca de um ano, em jeito de experiência, e na qual o Geopalavras irá apostar muitas fichas. Os seres estranhos, locais inusitados é uma experiência videográfica / fotográfica, que pretende descontextualizar uma personagem, animal ou objeto, e absorver (imaginando) o interessantíssimo eco devolvido pelo novo cenário a vivenciar.

SeresEstranhosGeopalvras

Do trabalho já realizado, contam vários vídeos: A mosca, O gato, O Flashman e, o último, O Rei. Há muitas ideias futuras, passando pela visita de um Mestre de Karaté, um Craque de Futebol, um Elefante, e até mesmo um OVNI. Haja tempo!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Primavera envergonhada.

terça-feira, 5 de abril de 2016 · Temas:

Hoje tivemos o primeiro dia digno da primavera. Ventosa e de sol brilhante, a tarde pôs-se apetecível para procurar sinais de uma estação que costuma surgir desavergonhada, por vezes rivalizando com verão, mas que anda tímida, mas nem por isso menos bela, bem pelo contrário. Basta saber onde procurar, pois ela já desponta e fascina.

DSC_1855

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O pulsar das chuvas convectivas.

· Temas:

Estamos em plena época das chuvas na Amazónia. O calor equatorial, a humidade da selva e o vento atlântico de sudoeste, contribuem para os enormes quantitativos de precipitação diária que ali se fazem sentir, num tipo de chuva formada por convecção. Neste processo, o ar aquecido, que sobe adiabaticamente em altitude dado o intenso calor, transporta grandes quantitativos de vapor de água que, a dada altitude, e com arrefecimento da temperatura, condensam, formando nuvens e precipitações fortes e diárias.

É um estado de tempo que se perpetua ao longo de meses, tornando a região Amazónica numa das mais chuvosas do mundo, e o poderoso Amazonas, no esteio drenante de todo este impressionante sistema da natureza.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Born to be Blue.

· Temas:

Há muito que não escrevíamos sobre cinema, para mais, sobre um filme que ainda não estreou em Portugal, e só há pouco aconteceu nos Estados Unidos, país que o produziu. Trata-se de uma abordagem biográfica a um dos génios do Jazz, Chet Baker, magistral interprete  branco da música nascida negra, sobre a qual alguém lá na escola, como em muitos outros e doutos lugares, dizia soar a “esquisito” e de ritmo estranho. Enfim, podíamos escrever parágrafos imensos em defesa do som que está na base de toda a música pop, hip hop, rock, etc. Mas não é esse o intuito. 

born_to_be_blue_h_2015_0

Esperemos que o circuito comercial do filme o coloque nas salas, pois a fazer valer as criticas que entretanto que já se podem ler em diversos sítios de internet, a interpretação de Ethan Hawke é enorme, e faz jus à personagem e beleza da música de Chet Baker.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This