A família Gervásio.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013 · Temas: , ,

Vejam só: a família Gervásio é constituída por um herdeiro muito autoritário, Rodrigo Gervásio, viúvo, que não dá ouvidos a ninguém e também sofre de surdez... Os seus quatro filhos, todos homens, trabalham às suas ordens, falam sempre ao mesmo tempo e por isso nunca se entendem…

 

A fábrica da família produz bolachas; é de grande dimensão, fica longe de tudo e, por tal, apresenta muita dificuldade em contratar funcionários… por isso são os filhos que nela trabalham… Onofre Ricofino, vizinho fabril, tem tentado comprar a fábrica por julgar haver petróleo no terreno por ela ocupado. Por isso, estabeleceu um acordo secreto com um dos filhos para envenenar o pai…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

2 respostas a: “A família Gervásio.”

  1. Olá professor Pedro penso que este projeto foi muito interessante para nós (a turma) e isso demonstrou se também pela nossa dedicação, entusiasmo e vontade de trabalhar. Foi um desafio para nós por não tínhamos feito nada do gênero,e na minha ideia foi um resultado positivo, também adquirimos aspectos de outras áreas a qual não estamos habituados a ver nas escolas.Queremos agradecer (a turma do 8ºA)a si por esta oportunidade que nos deu e penso que outros professores deviam de o fazer também porque apesar de aprender estamos a conviver com os nossos amigos a a divertirmos nos.E ainda ficamos com este vídeo que é um momento divertido das nossas vidas na escola partilhada com amigos e professores!
    Ass:João Teixeira

    ResponderEliminar
  2. Obrigado João! Sabes, em última análise o mérito é vosso. Faço muito disto mas o vosso entusiasmo surpreendeu-me (e não só a mim…). A vossa reação é sinal dos tempos, tempos que vos obrigam a estar demasiadamente centrados em conteúdos, às vezes inócuos, digo eu. Uma aula e meia de teatro a propósito de “fatores de localização industrial” enriquece mais do que não sei quantas páginas de manual e fichas à mistura. Se um dia fores governante, não te esqueças disto! Um abraço.

    ResponderEliminar