Uma ideia de parede diferente!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017 · Temas: ,

Descobrimos Bordalo II, um inovador artista plástico, há uns meses, e admiramos muito a sua obra. As suas obras de arte usam «[…] lixo para criar grandes instalações de rua, que representam animais ou cenas urbanas. Lixo proveniente de fábricas abandonadas, peças em vários tipos de plástico e lixo eletrónico […]».

Estão, basicamente, instaladas em Lisboa e, a mais próxima de nós, na fachada de um prédio no centro histórico de V.N. de Gaia, que visitaremos em breve.

Bordalo II Ninhos

Ora, porque é que o invocamos? Por causa das Escadas da Natureza. Esta atividade do Projeto Ninhos, iniciada em julho com a pintura das paredes e asseio do local, foi programada para ter continuidade neste início de ano letivo. Mas… e se Bordalo II desse um “pulo” à nossa escola e nos ajudasse a fazer uma Obra de Arte?


Fontes: Bordalo II // Coisas da Fonte // Arquitetura Portuguesa

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Acabou o namoro de verão. Volte o de sempre!

terça-feira, 29 de agosto de 2017 · Temas: , ,

Nãããããããããããããã! Definitivamente, não! Se o adágio diz que uma imagem equivale a 1000 palavras, não foi bem isso que sentimos no Instagram. Sentimos sim, imagens sem palavras, sem conteúdo, muitas, demasiadas, que transpiram uma coisa: inércia na escrita. Não é para nós.

Coisas soltas#026

Por isso, acabou-se o namoro de verão e vamos voltar à origem, aquela que realmente gostamos: o Geopalavras. Nele, vamos apostar todas a conchinhas que descobrimos na praia. Continuamos com o “face” associado, e apenas como veículo daquele, voltando assim, e em força, à geografia, à meteorologia, às atividades e iniciativas, aos sábados diferentes e aos vídeos.

Inclusivamente, temos uma ideia forte, e definida, para este próximo ano letivo. Sim, porque funcionamos por anos letivos! É o seguinte: “A Geografia está na rua para ti!”. Com ela, e sem detalhar, vamos aproveitar o programa Erasmus, apostar no vídeo (e, esperemos, na TV da ESL) criando iniciativas comuns a turmas de cursos e anos letivos diferentes.

A Geo na rua

Com isto, pretendemos conquistar uma visão menos académica da Geografia, disciplina também sujeita a exame nacional… mostrando aquilo em que ela nos pode ser útil no quotidiano: a sensibilidade ambiental e urbanística, o clima, a orientação, organização de eventos de cariz turístico, educação e sensibilização de alunos do ensino primário, utilização e potencialização de fóruns e discussão de ideias ao nível teórico (Classroom) e a sua aplicação na prática (estações meteorológicas nas EB´s).

Mais, o Projeto Ninhos vai continuar a sua atividade, ora dando continuidade às iniciativas do ano passado, ora criando muitas outras. E, para já, ideias não faltam: desde a instalação de estações meteorológicas em escolas básicas do Agrupamento, até ao plantio de girassóis na ESL e EBLC, passando por uma série de saídas de campo, com reportagens à mistura, é muito aquilo que se prevê.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Potencializar o Classroom no A.E. Lixa!

· Temas: , ,

Se houve novidade tecnológica que no passado ano letivo nos surpreendeu, sobretudo pela adesão dos alunos, foi o Classroom. Trata-se de uma ferramenta, integrada na conta G-Suite que o Agrupamento de Escola da Lixa possui, que rentabilizamos bastante na concretização de trabalhos individuais, de grupo, na discussão de ideias e temas, e na avaliação.

Pandilha Classroom

Uma das enormes virtudes desta “aula” virtual, é a possibilidade de cada turma constituir-se como base de trabalho, à qual aderem os respetivos professores, são marcados trabalhos e discutidos assuntos. Esta lógica, inverte aquela que coloca os alunos em diferentes plataformas, uma por professor e ou disciplina. Mais, é acessível através de Android… o que, traduzindo, potencia a adesão dos alunos, cujo telemóvel  é uma extensão do corpo.

Assim, deste modo, evita-se a dispersão dos alunos com as habituais dificuldades no “login”, ou não chegada de informação (tarefas) ao destino. Até porque cada aluno terá um endereço de email personalizado, cujo domínio é @aelixa.pt, e pode ser solicitado na escola. Os alunos que trabalharam connosco já o possuem, e é quase certo que o venham a utilizar novamente. Preparem-se!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Os aviões da Red Bull.

Começamos por referir que as cidades, regiões, necessitam de eventos para mostrarem que existem, criarem marca, e fazerem funcionar o seu dinamismo económico. Sempre foi assim, e é assim na atualidade. Contudo, eventos há muitos: mais populares, menos populares; mais ou menos mediáticos que, no fundo, é o que se pretende com na realização deste, RedBull Air Race, durante o próximo fim de semana; e mais, ou menos, sustentáveis.

Pandilha Air Race

E, a ser verdade que por causa (ou à boleia) deste evento, e da instalação de uma tenda para “VIP´s” na marginal de V.N. Gaia, bem junto das Caves de Vinho do Porto, se tenham abatido mais umas árvores, pomos em causa toda a iniciativa, que “ensardinha” gente nas derradeiras margens do Douro. Que raio de exemplo!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Um arrepio no final das férias.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017 · Temas: , , ,

Ao arrepio, cremos no fim de agosto para fazer férias! Nesta altura, de contagem decrescente, a malta tem por hábito enfiar-se no hipermercado, e comprar tudo o que vê à frente: lápis, cadernos, aguças, e borrachas verdes, etc., ou a chatear a molécula do responsável pela mesada, tentando convencê-lo a comprar mais umas sapatilhas da Adidas, ou por aí. É a denominada febre do final de estio, que atinge os alunos e encandeia os encarregados de educação mais incautos.

Coisas soltas#025Coisas soltas#024Coisas soltas#027

Por isso, e antes de abalar para a “praia”, deixamos aqui mais umas motivações (e não nos estamos a “armar” em designers, acreditem) ou, vá lá, variações ao frugal, algumas feitas com pouco mais do que o PowerPoint. É tudo uma questão de insistência, tentativa, erro e solução.

Coisas soltas#026Coisas soltas#028Coisas soltas#023

E este nosso apelo, constante, à inovação, tem que ver com o modo como vemos a sociedade de hoje, onde não há espaço para o que é normal e cai na indiferença. Ou melhor, há! Mas, é reduzido e de fracos horizontes. A sociedade atual faz-se de pulos impulsionados pela criatividade. Até um dia destes!


Ah! Uma pequena nota: onde é que anda a Geografia “nisto tudo”? Bom, “nisto tudo”, a Geografia está na imaginação. Ninguém produz conhecimento sem imaginação. Está dada a reposta a uma certa pergunta.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Rir de nós próprios!

domingo, 20 de agosto de 2017 · Temas: , ,

Se há virtude que admiramos, é a capacidade de nos rirmos de nós próprios. É assunto que já aqui abordamos, de raspão, por muito admirarmos quem o consegue fazer, talvez por ter aprendido, mostrar inteligência ou, simplesmente, por ter nascido com o dom. 1

E é curioso, como na época em que as redes sociais, sobretudo o Instagram, se atafulha de ângulos “perfeitos” e posses ousadas, que seja na imperfeição, ou vá lá, no disparatado, que pareça encontrarmos  inteligência e perfeição. Confuso? Por outras palavras: é na admissão da própria imperfeição, por intermédio do “autoriso” e “autogozo”, que vemos o caminho da (impossível) perfeição; porque inteligente; porque diferente do banal.

2

Ora, investigamos e não encontramos um adjetivo que resuma esta capacidade que sempre pautou, por exemplo, os apresentadores dos imensos vídeos que publicamos no Geopalavras. Todos, quase sem exceção, provaram saber brincar com o próprio erro. E isso é tão delicioso, que o procurarmos incessantemente… Daí a nossa insistência em algumas rúbricas, às vezes muito disparatadas, na tentativa de despertar, e alertar, para a criatividade.

3Mas, vejam alguns exemplos (que depois dos parágrafos anteriores já o devem ter feito, há muito…), que a Pandilha selecionou para nós, e onde nós próprios nos incluímos, isto até porque gostamos bastante de fazer figuras tristes!

4

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Coisas soltas #021.

sábado, 19 de agosto de 2017 · Temas: , ,

Há quem passeie o cão, nós não temos cão! Temos uma gata, quando calha… e mais ou menos emprestada… Há quem goste de ver televisão, o Youtube, vasculhar o “face” e o “insta”, ou tirar mais uma “selfie” para, em troca, receber aqueles “genuínos” comentários cheios de “emoji”. Nós, pelo meio das torradas e notícias do dia, gostamos de criar! E estamos contentes com estes 10 minutos diários de criatividade! É um bom exercício mental. Quem não gostar, que reclame! O Geopalavras não filtra comentários. Boa praia!

Coisas soltas#021

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Vinte e nove dias sem chover.

· Temas: ,

Fizemos uma pequena revisão daquilo que choveu neste verão e foi registado pela Estação Meteorológica da Escola Secundária da Lixa. Os valores são preocupantes. Desde 21 de junho, início do verão, choveu apenas em 5 dias, 3 dos quais em junho, num total de 25,3 milímetros.

Evolução da precipitação e temperatura desde o início do verão (até 17 de agosto 2017)

Mesmo atendendo ao facto de os valores se reportarem a meses de estio, e ao número de dias do período em análise (58), o valor de chuva é diminuto e basicamente concentrado em 3 dias de junho. Desde então, apenas choveu 5,3 milímetros, valor que engloba todo o mês de julho e estes 17 dias de agosto.

Acrescente-se que já não se registam valores de precipitação desde 19 de julho, ou seja, há 29 dias, e as previsões meteorológicas não tendem a inverter esta de seca a que o território peninsular está votado.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Estão de volta as viagens de comboio.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017 · Temas: , ,

A RTP2 é, sem dúvida, o melhor canal televisivo generalista que temos. Equilibrado e refinado, aposta em séries de ficção alternativas que, embora impostas pelos imperativos financeiros, não beliscam a qualidade. Pelo contrário!

 Des trains pas comme les autres - Pandilha

Dificilmente veremos séries de ficção policial dinamarquesa na TVI, a substituir, por exemplo, a novela “Ouro Verde”, ou esta fantástica série documental: “Inesquecíveis viagens de comboios”, que a RTP2 passa aos sábados pelas 20:30h, de teor iminentemente geográfico, em horário nobre da SIC, a substituir a novela “Amor Maior” …

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Os hipermercados que finalizam o verão.

O calendário diz-nos que estamos no dia 17 de agosto, sabias? Pois… estamos, por isso, na segunda quinzena de agosto, e os hipermercados já não atacam o incauto consumidor com cadeiras de praia, malas térmicas ou garridas pranchas de bodyboard de esferovite.

calvin-and-hobbes-2 (1)

É verdade! O figurino mudou, e os diabólicos corredores da tentação do consumo dos hipermercados também. Ao invés, surgem agora nos escaparates, mochilas floridas, cadernos de todos os tamanhos e espessuras, e manuais de apoio ao estudo e exames. É o “regresso às aulas” que, como alguém bem próximo de nós costuma dizer, finaliza o verão!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Caixa de recordações.

domingo, 13 de agosto de 2017 · Temas: , ,

Há um fascínio pelo esforço coletivo, sobretudo quando se participa acreditando em algo maior. Na verdade, ao longo da nossa vida, seja ela grande ou pequena, somos frequentemente confrontados com o apelo à participação, mesmo sem entender todo o “filme”, como foi o caso das pessoas que alinharam na gravação deste pequeno vídeo, em prol de algo maior. Neste caso, foi um pequeno genérico videográfico, mas, o apelo podia versar causas bem mais importantes: pessoas, animais ou plantas, cultura ou até ideais.

Exemplos há muitos, e bons: a ação dos bombeiros, a todos os níveis; os protestos e chamadas de atenção de grupos ambientais ou de direitos cívicos; ou até a nossa pequena ação diária, ajudando o próximo, reciclando ou poupando água.

Mas, leia-se que a participação também pode ser antagónica à visão do “apelo”. Na verdade, a concordância encarneirada é um erro, e por isso, contestar fundamentadamente, é também assumir uma posição muito válida. O problema está na indiferença perante um problema ou estado de coisas.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O vento que nos afasta da praia.

O vento moderado que se tem vindo a sentir nos últimos dias no território nacional, deve-se ao posicionamento de um anticiclone a sudoeste das Ilhas Britânicas, que, fugindo à normal posição do anticiclone dos Açores, não se desenvolve pronunciadamente para leste, massa continental europeia.

Situação barométrica e direção de vento em 10 de agosto 2017

Quando normalmente assim acontece, o vento de leste traz consigo secura e muito do calor estival, dada a viagem realizada pelo vento, ao longo da massa continental peninsular. Contudo, a direção do vento que se faz sentir nos últimos dias, deve-se a uma ligeira alteração do posicionamento, mais setentrional / ocidental, do anticiclone subtropical de verão, dos Açores, que faz correr o “vento leste” de NE na região noroeste da Península. Nasce no Golfo da Gasconha, atravessa parte da Galiza, chega inusitadamente fresco e com força durante a madrugada e manhã, tendo como resposta uma forte nortada durante a tarde, na costa ocidental de Portugal Continental.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma descoberta “pré-estórica”!

· Temas: , ,

Fizemos mais uma descoberta arqueológica! Data de 2012, um período “pré-estórico”, e consiste numa reportagem conduzida por umas famosas personagens do Geopalavras, sobre o torneio de basquetebol 3x3 de dezembro de 2012 (imaginem), realizado no pavilhão da ESL.

Honestamente, não é costume deixarmos material assim, de qualidade, por editar… por isso algo de anormal se terá passado na altura e talvez os intervenientes se lembrem melhor do que nós do motivo. Contudo, editamos os muitos vídeos, em jeito de hobby (como sempre), e demos-lhe a merecida luz do dia.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Bourdain no Porto.

domingo, 6 de agosto de 2017 · Temas: , ,

Anthony Bourdain é um repórter que apresenta, presentemente, uma série dedicada à descoberta gastronómica e etnográfica. Trata-se de uma produção da CNN, chama-se Parts Unknown, e um dos últimos episódios transmitidos, já no mês passado, foi sobre o Porto.

Pandilha - Boudain - Porto

O repórter, chef e escritor, relatou sobre o Porto algo com o qual nos identificamos profundamente e faz a diferença: a tradição. O Porto ainda vai sendo uma cidade de tradições gastronómicas e sociais, com gentes “sem papas na língua”, que fazem a diferença em relação ao que existe no estrangeiro.

Daí o magnetismo da cidade e da região, que prenderam o apresentador à sua Baixa, aos tascos e casas de pescadores, ignorando o moderno e pseudo-gourmet. É um episódio a ver e conservar (dado o interesse, publicamos o episódio na nuvem).

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Julho quente e seco.

· Temas:

O mês de julho foi registado pela estação meteorológica da ESL como seco e quente. O total de precipitação do mês, 5,3 milímetros, ocorreu da soma de dois dias de chuva, 6 e 19 de julho, com os quantitativos de 2 e 3,3 mm, respetivamente.

Comportamento térmico e de pluviosidade da meteoesl julho 2017

A temperatura média do mês situou-se nos 25,3 ºc. O valor máximo foi atingido no dia 15, 43,4 ºc, e o mínimo, no primeiro dia do mês, com o valor de 9,9ºc.

Tratou-se, portanto, de um mês de pouca chuva, valores de temperatura muito elevada, um pouco à semelhança daquilo que aconteceu na região noroeste e resto do território continental, durante este mês.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Países, países e países!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017 · Temas: , , ,

Se estão a ver este vídeo (mais um…) sem assunto nenhum para os não intervenientes (o ex´s do G e B, que é o que temos...), é muito bom sinal! Ou seja, é sinal que o piloto automático do Open Live Writer, a melhor ferramenta de edição de blogues que por aí anda, funciona na perfeição (“yes”), e as publicações já editadas têm saído nas datas previstas.

Programamos esta publicação para o dia 2 de agosto, que sucede 1 de agosto, provavelmente ontem, e que, segundo o Quim B., é o melhor dia do ano… pensem lá porquê! Portanto, por esta altura, ou estamos na lavoura ou na praia e mesmo assim, à distância, fazemos chegar estas coisas às redes sociais, isto para quem ainda tiver pachorra para as mesmas. Mas, chega de conversa fiada; esfolem uns joelhos, trepem umas árvores e ganhem uns arranhões por nós!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Certas músicas…

· Temas: , ,

Goste-se ou não, ache-se ou não piroso, ou de gosto duvidoso, a música é livre para escolher com quem ela dança e canta. E não há volta a dar. É a sensibilidade pessoal que manda nesta relação, e às vezes o estado de espírito, criando uma adoção feliz! Por isso, há certas músicas…

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Não sabemos, mas deve andar lá próximo!

terça-feira, 1 de agosto de 2017 · Temas: , ,

O mundo anda “meio pró moribundo” e deve estar quase, quase a acabar! É verdade… Não bastava as loucuras que se vivem há anos no Médio-Oriente, o drama dos refugiados, ou as democracias “musculadas” que fabricam inimigos para desviar a atenção dos problemas internos, temos, agora, imaginem só, a possibilidade de comprar pizzas pela televisão! A nossa visão descrente do mundo, piorou…

Pandilha 10 - Matilde

É, definitivamente, mais um esperneio do mundo ocidental a carburar em pleno… Já não bastava os jogos, o “face”, o “insta”, a box, a playstation, as “selfies”, o Netflix, e todas as restantes diabruras que nos prendem ao sedentarismo e boçal, que agora, até a comida atacam, pensando-a para nós. Por isso, deixa-te estar, não esfoles uns joelhos e vais ver onde vais parar!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma escola que canta!

· Temas: , ,

Uma escola que canta, é uma escola feliz! Ao longo dos anos, a “secundária” foi frequentada por muita gente de talento cantante. E não falamos apenas de alunos. Houve professores, e até funcionários, cuja voz encantou plateias e motivou uns quantos aos “passinhos” de dança. Assistimos a isto várias vezes, mas, no passado.

Atualmente, a escola, as escolas, parece demasiadamente ocupada, distraída, com assuntos muito mais importantes, e não há vagar para as coisas que encantam. Contudo, são estas coisas que conquistam alunos. Fica o recado.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This