A exploração de vofrâmio no Lugar de Seixoso.

quarta-feira, 30 de junho de 2010 · Temas:

A exploração do volfrâmio remonta pelo menos ao início do século XX sendo que a sua extracção terminou na década de sessenta. Portugal foi um importante produtor mundial, sobretudo no período das duas Guerras Mundiais (em especial nos anos 1941-42) e posteriormente com a Guerra da Coreia, na década de cinquenta, que proporcionou outro "pico" de produção.
 
Seixoso 1A - Geoplavras
 

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Está mesmo quase a estrear…

· Temas:

Aqui está mais um poster do microfilme: “O Capuchinho na Floresta Encantada”. Este microfilme, baseado num popular conto infantil agora reformulado e adaptado pelas alunas da turma EFA1, apela à consciência ambiental de todos nós e deixa-nos uma bela mensagem de compreensão pelo próximo; nem que seja o Lobo Mau!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Resultados do Quem Será? (foto 9).

O  “Quem Será?” desta temporada termina com o Prof. Rafael que faz um fantástico trabalho na página web da nossa escola e dinamiza muitos recursos ligados à Física e Química (como já deves ter reparado, certo?). O “Quem Será?” volta no próximo ano lectivo, lá para os finais de Setembro e trará, com probabilidade, novas fórmulas: “Onde Será?”, “Quando Será?”… A lista dos premidos desta edição sairá durante esta semana e haverá uma pequena lembrança simbólica para os 3 primeiros. Fica atento.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Em vez de um ponto final...

terça-feira, 29 de junho de 2010 · Temas: , ,

«Para vos ser sincera custou-nos muito fazer este texto de despedida, e por isso mesmo demorou a aparecer...

O ano chegou ao fim e é tempo de algumas coisas terem que acabar, não creio que será o fim definitivo, nem quero que seja, o hábito de procurar notícias para aqui por não se perdeu, e as saudades vão ser tantas que de vez em quando vai aparecer aqui qualquer coisinha, nem que seja apenas para dizer "Olá".

Durante o ano lectivo, deu bastante gozo trabalhar neste blogue, procurar as noticias mais insólitas para vos fazer rir, ou as mais tristes e chocantes para mostrar a dura realidade em que vivemos, fazer os balanços do mês, começar rubricas com apenas uma edição:), passear pelos blogues dos nossos colegas e deixar comentários ou simplesmente dar uma voltinha pela casa-mãe o Geopalavras.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Há que mudar.

· Temas:

O Geopalavras sentiu a necessidade de mudar, crescer e evoluir um pouco. Até agora a aposta era muito centrada em textos e investigações originais, artigos de opinião, relatos e trabalhos ligados às diversas rúbricas que compõe o “universo geopalavriano”. Para este dinamismo muito contribuiu o trabalho de algumas “formiguinhas”, que estão perto de abalar para outras paragens e um tremendo esforço diário de correcção de textos, design gráfico, edição videográfica, etc.

Sem querer cortar com às rubricas que pautam o Geopalavras, doravante a aposta centrar-se-á numa maior frequência de publicação de artigos, que não têm necessariamente de ser originais, bastando serem pertinentes e acautelarem devidamente a fonte e autor. Como em tudo na vida, estas as mudanças acarretam sempre dificuldades de ajuste e conciliar o bom gosto com a simplicidade e funcionalidade nem sempre é fácil... Por isso, nos próximos dias, o Geopalavras vai andar em experiências. Há que mudar.

Campbell´s Soup - Andy Warhol

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Está quase a estrear...

sexta-feira, 25 de junho de 2010 · Temas:

Afinal o Lobo que vive na floresta do Capuchinho Vermelho não é mau, simplesmente tem fome! Baseado num conto tradicional, a turma EFA1 da ESL recontou aquela história infantil e mostrou-nos que verdadeiro lobo mau é o Homem, que não cuida da natureza!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O upwelling e as sardinhas de S. João.

quarta-feira, 23 de junho de 2010 · Temas: , ,

A sardinha ocupa uma parte substancial no total de pescado obtido nas nossas águas. Só em 2009 as capturas rondaram as 62 mil toneladas, num montante de 43 milhões de euros, que representam mais de 40% do total do pescado na nossa Z.E.E. (Zona Económica Exclusiva).
 
O consumo deste pequeno peixe - Sardina pilchardus - com cerca de 10 a 15 cm de comprimento, remonta aos Fenícios que salgavam o peixe, como método de conservação, para o seu posterior consumo. Os Romanos também utilizaram esta técnica, fazendo transportar os alimentos salgados em ânforas, desde a Ibéria para todo o mundo romano, chegando à Península Itálica, Gália, Inglaterra e África. Sabe-se igualmente que no período muçulmano, a Sul do Tejo, se fazia a pesca ao largo, com redes próprias para a pesca da sardinha que era encontrada e capturada em grande abundância.
 
Sardinha por Gilberto Maia
 
Na Idade Média, esta iguaria disseminou-se pelo país rural através dos almocreves, que traziam de suas terras produtos do campo e do litoral levavam sardinhas, tornando-as num prato basilar da alimentação de muitas populações rurais. Deste modo, este pequeno peixe estival, entrou nas raízes da nossa história assimilando-se na literatura, no fado, nos contos e jogos populares, nos pregões e festejos, nas referências toponímicas e mesmo na genealogia, surgindo no nome de algumas famílias. A sardinha no pão é hábito que acompanha a história, uma prática dos pobres que esfregavam a sardinha assada na côdea para lhe conferir sabor e, com isso, enganar a escassez do alimento.
 
Vestíbulo de edifício na Av. Óscar Monteiro Torres, Lisboa - Lusitânia
 
A abundância da sardinha no Verão.
 
O desenvolvimento dos peixes está intimamente ligado à abundância de alimentos. O crescimento da sardinha, por exemplo, é lento no Inverno e maior no Verão e, presume-se, que a distribuição e abundância dos seus alimentos sofram variações idênticas às verificadas na temperatura e salinidade das águas oceânicas (H. Lautensach). Deste modo, a subida das águas profundas e frias (uppwelling) que se manifestam sobretudo no Verão, quando os ventos do norte e NO dominam na faixa litoral, criam condições propícias ao surgimento do alimento dos peixes. Efectivamente, a resposta das águas à impulsão do vento é rápida, não sendo preciso mais do que um dia para surgirem à superfície águas de origem profunda, fria e rica em nutrientes, em frente dos principais cabos. As águas frias escoam-se em seguida para o sul, desenhando línguas que denunciam as frentes de contacto com as águas superficiais mais quentes (Daveau).
 
 
Uma vez estabelecido, o upwelling tende a perpetuar-se, porque a faixa oceânica fresca que acompanha então o litoral torna mais forte a brisa do mar (Nortada), que chega a soprar quase permanentemente nas camadas inferiores da atmosfera. Sob a acção da força de Coriolis, a brisa acaba por correr quase paralelamente ao litoral, ajudando assim à manutenção do upwelling.


Ora, este fenómeno de afloramento costeiro tem como consequência, para além do arrefecimento das águas (bastante conhecida do veraneantes nortenhos), o seu enriquecimento em sais nutrientes (nitratos, fosfatos e silicatos). Isto acontece porque as águas profundas, que estão a ser levadas para a superfície, têm maior concentração desses sais do que as próprias águas da superfície. Então teremos grande quantidade de nutrientes a ser levada para uma camada onde a radiação solar consegue penetrar, ou seja, teremos as condições ideais de alimento e luz para o desenvolvimento do fitoplâncton.
 
E este aumento da produtividade primária (primeiro elo da cadeia trófica) vai levar ao desenvolvimento de toda a restante cadeia alimentar, desde o zooplâncton até aos peixes e outras espécies marinhas que se alimentam do plâncton ou de outros peixes, como a sardinha, num elo mais acima.
 

Fontes:
- Centro de Oceanografia da FCL
- Suzanne Daveau, Hermann Lautensach – “Geografia de Portugal” – vol. I, ed. JSC. 1995 
- Ana Clara e Sara Pelicano - http://www.cafeportugal.net
- Wikipédia

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Resultados do Quem Será? (foto 8).

terça-feira, 22 de junho de 2010 · Temas:

Bom, esta semana era impossível não reconhecer a flor... a D. Rosa, tal e qual! Ora, meninos e meninas, o "Quem Será?" vai de férias e volta em talvez em Setembro ou Outubro, dependendo do tempo... Para fechar esta temporada, temos uma interessante proposta para adivinhar: é um professor super-super-super-fixe e muito ligado às tecnologias! Quem será? - Para a próxima semana serão divulgados os resultados finais e lista dos 3 melhores classificados! Fica atento.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A Lua do solstício.

segunda-feira, 21 de junho de 2010 · Temas:

Se no início de uma destas noites de Verão olharmos para oriente, vemos um gigante a surgir no céu: é a Lua do solstício! Este gigante, que resulta de uma ilusão, foi inicialmente entendido como um efeito de aumento (lupa) provocado pela acção da atmosfera naquele astro. Contudo, experiências feitas em filme provaram que a Lua tem o mesmo tamanho independentemente da sua elevação no céu (aparentemente só os humanos andam a ver Luas gigantes!).
  
Lua de solstício.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O solstício de Verão e as Vacas-de-Fogo.

O maior dia do ano ocorre hoje, dia 21 de Junho, o dia em que Sol alcança pelas 11.28h o seu ponto mais alto no Hemisfério Norte, naquela que é a mais longa viagem (dia natural) entre o nascer e o seu ocaso (15 horas e 08 minutos).
 
O solstício de Verão é uma efeméride astronómica profundamente enraizada em inúmeras manifestações pagãs, muitas delas adoptadas e adaptadas a rituais religiosos perfeitamente diluídos nas festividades contemporâneas. Esta constatação, já aqui realçada no Geopalavras por diversas vezes, torna-se extremamente pertinente e interessante, na medida em que nos explica o verdadeiro significado de algumas das nossas festas e rituais anuais. Os costumes, hábitos e tradições não acontecem por acaso e a interpretação do ritmo cósmico, que pautava o calendário dos nossos antepassados pré-históricos continua, paradoxalmente, a marcar o nosso.
 
1
 
Um dos bons exemplos desta profusão são as Vacas-de-Fogo, uma tradição bastante disseminada na região do Sousa, que consiste numa «espécie de caixa pirotécnica em forma de vaca, onde um homem a coloca às suas costas e percorre a avenida principal». Esta tradição, à semelhança de muitas, coloca o fogo como elemento central e purificador. O fogo como elemento ritual, quer na sua versão cristianizada (as velas acesas - luz da salvação de Cristo), quer na sua versão mais pagã (as fogueiras), cumprem um duplo sentido: ora como purificador, pois destrói o que é velho, ora como fecundador, pois permite um renascimento das cinzas resultantes (Javier Arévalo).
 
SPAIN SAN FERMIN 2012
 
Segundo J. C. Bermejo Barrera «La purificación se relaciona a la vez con la inmortalidad, pues ambas derivan del fuego del hogar que sirve para eliminar las manchas rituales y para cocer el caldero con agua (lebes), através del que se trata de conseguir la inmortalidad en algunos mitos griegos».
 
O Toro de Fuego (Vacas-de-Fogo em Portugal) segundo Alberto de Jesús, têm a sua origem nas touradas nocturnas, realizadas em Creta por gregos e romanos, e também nas conquistas e batalhas mediterrânicas feitas por celtas, romanos e cartagineses. Nestas, o touro (semibravo e castrado) e o boi eram utilizados para transporte e alimentação e cumpriam ainda uma importante função estratégica e militar. Aos chifres dos animais os guerreiros prendiam lenha e panos embebidos em gordura, aos quais ateavam fogo. Depois, os animais eram conduzidos em manadas até às cercanias do acampamento inimigo onde, com o alastrar do fogo, ficavam enfurecidos e investiam com vigor contra o inimigo.
 
0000040b
 

Na Península Ibérica, esta táctica militar evoluiu para a tradição do Toro de Fuego. Em 1627, em Espanha, nas «fiestas patronales de Santa Ana» tourearam «Diego Sola, Jacinto Caparroso, Juan Marco y Jerónimo Citor, por cuya habilidad cobraron 8 ducados» e, nesse mesmo ano, José de Sola foi o autor do primeiro e verdadeiro Toro de Fuego que, ainda hoje constitui um elemento imprescindível nas festas populares da região Valenciana.

Muito embora hoje, e na maior parte das localidades espanholas, esta tradição não lide com verdadeiros touros, o Toro  fictício e pirotécnico, encabeçado por um homem que se faz desfilar ao longo de uma avenida apinhada de gente, cumpre um ritual igualmente primordial: o ritual da purificação e da catarse pelo fogo.
 
57.pos

O solstício, o fogo e a entrada do Verão constituem assim elementos de um único e cíclico processo de renovação, onde queimar o velho é destruir os maus espíritos, que possibilitam a abertura da válvula de escape para os problemas e tensões sociais quotidianas.
 

Fontes:
- J. C. Bermejo Barrera – “Mitologia y mitos de la Hispania prerromana I”, Ed, Aakl, Madrid, 1986, pp. 162-170.
- Wikipédia.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

La Tomatina.

sexta-feira, 18 de junho de 2010 · Temas: ,

Desde o ano de 1944 que na última quarta-feira do mês de Agosto, se celebra a famosa guerra de tomates - La Tomatina - na Cidade de Buñol, perto de Valência (Espanha). A história não conta ao certo a origem de tradição. Embora havendo várias versões, o site oficial conta que um grupo de jovens, como intuito de estragar as festas da cidade, começou a provocar alguns desacatos que levaram a que alguém pegasse num tomate como munição, num gesto que rapidamente foi imitado pelos presentes... Fez-se assim história na Cidade de Buñol, nascendo uma das tradições mais famosas de Espanha e com grande influência no mundo.



Todavia, esta tradição não teve um percurso linear. Passou por momentos difíceis e, no princípio dos anos 50, foi mesmo proibida pelo Ayuntamiento de Buñol. Esta proibição durou até 1957, ano no qual a manifestação popular foi consagrada de forma oficial e totalmente patrocinada pelo Ayuntamiento.

Com o passar do tempo, La Tomatina vai adquirindo cada vez mais importância e popularidade, não só em Espanha mas também no resto do mundo, onde é possível ver algumas réplicas desta manifestação, como é o caso da Colômbia e da China.

Apesar de esta guerra ter surgido espontaneamente, contemporaneamente existem regras para que esta se realize da melhor maneira possível e na sua verdadeira essência. É uma tradição única, sendo necessárias 100 toneladas de tomates para a sua concretização e conta com uma assistência superior as 40 mil pessoas. La Tomatina é uma das festividades mais populares do mundo tendo sido galardoada com alguns prémios turísticos. Ao contrário do que muitos pensam, esta tradição oferece muito mais que a simples guerra de tomates: na semana anterior, e no próprio dia, são feitos diversos concertos, manifestações culturais e actividades para os participantes.

- Rita Pereira, 12ºE.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A Tarantella.

segunda-feira, 14 de junho de 2010 · Temas:

«A Tarantella é uma dança folclórica, típica das regiões do sul da Itália, muito em voga nos séculos XIV e XV, mas que se mantêm até aos dias de hoje. É caracterizada pela vivacidade que transmite uma vez que é composta em carácter binário (6\8) e pela troca rápida de casais, dizendo-se mesmo que dançar a Tarantella sozinho não dá sorte. Basicamente a dança começa numa roda, até ao ritmo aumentar, e então todos começam a trocar de direcção ao som de castanholas e pandeiretas.

ATarantella - Pearault Leon.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Resultados do Quem Será? (foto 7).

domingo, 13 de junho de 2010 · Temas:

Pois é, pois é. Fizeram continhas? Era fácil não era? A D. Josélia está igualizzzziiiiinhhhaaaa! Ainda usa bonecas e tudo. Bom, esta semana quase para "acabar-ir-de-férias-e-voltar" temos uma proposta irrecusavelmente fácil. É impossível não chegar a uma conclusão. Vejam lá.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Tradições do Mundo.

Agora que as férias estão quase à porta… o Geopalavras inicia aqui uma nova rúbrica bem estival - As Tradições do Mundo. Com ela pretendemos dar a conhecer um pouco melhor da cultura mundial que, apesar de tudo, ainda nos escapa. Neste mundo baralhado pela globalização, ainda subsistem hábitos e manifestações populares seculares, assentes nos acasos da História ou no ritmo imposto pelos astros e pela natureza, que constituem um património cultural, rico e transversal.

Começaremos por divulgar vários trabalhos realizados pelos alunos do 12ºE e F e, se o calendário coincidir, focaremos melhor uma outra tradição. Refira-se, por último, que a primazia irá inteiramente para as tradições e manifestações estrageiras que em muito coincidem com as nossas.

Festival das Cores na Índia (Holi) que assinala a chegada
da Primavera ao Hemisfério Norte.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Leituras em Linha.

· Temas: ,

A nossa escola tem um novo Blogue, o Leituras em Linha que «é promovido pela biblioteca da Escola Secundária da Lixa e pretende fomentar o gosto pela leitura e pelos livros junto da comunidade escolar. Desta feita, queremos que este seja um lugar privilegiado não só para a divulgação dos novos recursos documentais da biblioteca mas também para a partilha das actividades curriculares e extra curriculares que estimulem a leitura. Será também um espaço para divulgar experiências de leitura, notícias, ideias, propostas, valorizando, assim, a leitura como forma de interacção das pessoas com o mundo e delas entre si.»

Assim, se tens estado atento reconhecerás com certeza que grande parte das manifestações culturais da nossa escola passam pela biblioteca e doravante também pelo Leituras em Linha. Visita-o frequentemente.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Mundial da África do Sul.

sexta-feira, 11 de junho de 2010 · Temas:

O Mundial de Futebol começa hoje, dia 11 de Junho, na África do Sul. Este país «onde os rostos brancos quase não se vêem na multidão que lota os estádios» acolheu a enorme máquina da FIFA, alimentada pelo som de milhares vuvuzelas, e criou o primeiro grande evento à escala global, na era moderna deste continente. Contudo, o futebol mantém-se como uma intrusão negra, herdada da política segregacionista do “apartheid”. Segundo Joe Latakgomo, autor do livro: “Magia do sul”, o futebol é um enclave racial neste país.

O Mundial, que terá o seu jogo final realizado em Joanesburgo a 11 de Julho, "deixará claro que o futebol não é algo mau, mas isso não quererá dizer que venham a ver os pais brancos a incitar os seus filhos a jogar futebol", explica Latakgomo.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Grafitando.

quinta-feira, 10 de junho de 2010 · Temas: ,

As ruas da cosmopolita Cidade da Lixa estão pejadas de grafites… Esta forma de expressão (vandalismo?) faz parte de um submundo underground que escapa aos demais mas não ao olhar mais atento, e extremamente sarcástico, dos nossos dois repórteres de campo: o André e a Marlene. No fundo, procuraram entender o grafiter… (ou não?) e também descobriram que, na nossa abordagem ao sarrabisco, muito dependemos do entendimento que temos do mundo e do nosso estado de espírito. Por exemplo, se estivermos apaixonados, ousaremos condenar um “Amo-te Gisela” escrito em letras garrafais? Pois… Agradecimentos aos entrevistados e sobretudo ao Sr. Yuaifi pelas declarações prestadas mas impossíveis de traduzir.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

As Tardes do Támal - o seu programa de TV.

· Temas: ,

As Tardes do Támal é o seu programa de TV! As chiquérrimas apresentadoras Joana & Ana têm sempre temas interessantes para nos contar que vão da culinária à moda, das supernoites algarvias ao pronto-a-vestir em Felgueiras ou da investigação jornalística à mais simples fofoquice sobre o panorama VIP nacional. Neste programa, a superfixe Joana investiga a moda feita de “bichos” e é de crer que as nossas amigas superfixes lá de casa, depois de saberem a superverdade da confecção de alguns casacos que costumam usar vão começar a frequentar a feira da Lixa às terças-feiras de manhã e andar um pouco mais superleves… Super!



Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O ZapCanal entrevista o Sr. Presidente Câmara.

domingo, 6 de junho de 2010 · Temas: ,

As repórteres Rita e Helena do ZapCanal conseguiram uma entrevista com o nosso Presidente da Câmara, o Dr. Inácio Ribeiro, que respondeu a várias e pertinentes questões de âmbito ambiental e urbanístico sobre o nosso Concelho. Nesta entrevista, o Presidente falou-nos da política ambiental concelhia e destacou o importante papel da empresa Municipal Emafel e da Empresa Intermunicipal Ambisousa, na promoção do ambiente local.

O Sr. Presidente esclareceu-nos também sobre o estranho caso da estátua desaparecida de Leonardo Coimbra e fez questão em referir que o busto daquela proeminente figura da nossa região, reaparecerá em frente à Casa da Cultura da Lixa. Esta reaparição integra-se num processo de renovação urbana, já iniciado, que prevê também a construção de uma ciclovia na zona do Ladário.

É pois com prazer que partilhamos a conversa / entrevista com o nosso Presidente, realizada no passado dia 1 de Junho, num gabinete dos Paços do Concelho. Ora vejam as duas partes.



Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A água, o que seremos sem ela…..

sábado, 5 de junho de 2010 · Temas: ,

De há uns anos para cá, temos assistido a uma maior sensibilização da população acerca do aproveitamento da água. Isto tudo através de campanhas publicitárias, cartazes, entre outros. Infelizmente, andamos sempre demasiado ocupados para prestar atenção a esses anúncios ou simplesmente não nos importamos com o estado dos recursos hídricos.

A água é um recurso natural muito importante para a vida na Terra. A água pode ser encontrada em diferentes estados: sólido (glaciares e icebergues), líquido (rios, lagos, mares e oceanos) e gasoso (atmosfera). As reservas de água podem ser superficiais e subterrâneas. E, segundo a sua composição química, a água pode ser doce ou salgada. Da totalidade de água existente nos diferentes reservatórios da hidrosfera, apenas um terço da água doce pode ser utilizada pelo Ser Humano.

Distribuição da Água na Terra.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Geodilema: pequenos ditadores.

· Temas:

Amar os filhos sim mas permissividade exagerada não. Esta conduta é essencial ao futuro comportamento e desenvolvimento social da criança. Os filhos não se podem ser mimados de forma irresponsável pois a criança mimada torna-se caprichosa e pouco sociável. Esta situação acarreta problemas de aceitação entre os companheiros na escola e irá dificultar a sua maturidade psicológica. Assim o recurso ao castigo é inevitável pois é moralmente impossível que os teus filhos não cometam alguma falta que o requeira: «Sem castigo não há educação possível», afirma um dos mais célebres pedagogos da nossa época, Foerster.

 Ora, se os filhos não podem ser mimados exageradamente, também não os devemos castigar sem razão. O nosso dilema é: como compatibilizar estas duas abordagens e navegar correctamente nos seus limiares.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Támalgeographic.

sexta-feira, 4 de junho de 2010 · Temas: ,

O Támal levou a sua intrépida equipa de exploradores de elite, os manos Costeau (também conhecidos pelos Gatos da América) até Regadas em Fafe, numa aventura que se sagrou pela descoberta de uma variedade de novos animais e insectos, pela descoberta da causa pela qual o Bugio apresenta uma cor castanha… Pelo meio da selva fafense, os nossos aventureiros depararam-se com um ambiente muito duro e hostil, onde apenas sobrevivem alguns animais raros e perfeitamente adaptados aquele habitat, como por exemplo: o Tyrafliryus Florayis, o Sonday Papeles, o Latão Mansus ou a rara Cobra Canudus.

Em suma, esta reportagem que resulta de uma parceria entre o ZapCanal e a National Geographic, ironiza a triste realidade ambiental de um rio que não o é, numa zona bem próxima de nós, onde se verifica um total desrespeito pelo ambiente. Vejam.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Geodilema: o uso ou não de peles de animais.

quinta-feira, 3 de junho de 2010 · Temas:

O uso de peles de animais para a confecção de roupas tais como casacos, sapatos e outro tipo de acessórios, é prática comum na indústria e está muito em voga. Contudo, a ciência há muito que no trouxe alternativas para aquele tipo de matéria-prima. Ora, um dos bens mais preciosos que este mundo ainda comporta, é a sua biodiversidade que, perante o acima referido, se encontra ameaçada. No entanto compreendemos que a defesa extrema da vida animal pode perigar o bom andamento económico, e sustentado, da sociedade. Assim, queremos saber qual a tua opinião: usar ou não peles de animais na indústria de confecções!

Campanha de sensibilização da WWF.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Geodilema: a relação entre o Homem e os animais.

· Temas:

As evidências mais antigas da amizade entre o Homem e os cães datam de há cerca de 12 mil anos antes de Cristo, quando os ossos de homens e cães aparecem na mesma tumba. Esta interacção homem-animal tem sido abordada pela sociologia, psicologia, antropologia, medicina veterinária e outras ciências e evidencia um aprofundamento na relação entre o homem e os animais, principalmente os animais de estimação. O que queremos saber é a tua opinião sobre a relação: homem e o animal.

O rapaz e o cão - Pablo Picasso.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Três, o número da perfeição?

quarta-feira, 2 de junho de 2010 · Temas: ,

Ao longo de três tardes de trabalho, três estudantes machos à boleia do famoso ‘GT’, percorreram e apontaram o dedo a vários problemas ambientais e urbanos dos municípios de Felgueiras e Amarante. Pela qualidade, esta reportagem está candidata aos Globos de Ouro do ZapCanal nas condições de: melhor soundtrack, efeitos “espaciais”, produção e sentido de humor. Convidamos então à visualização desta ousada e extraordinária empreitada.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Támal no Bugio.

terça-feira, 1 de junho de 2010 · Temas: ,

O Rio Bugio, que atravessa a Freguesia de Jugueiros, padece de vários problemas ambientais que a equipa do ZapCanal foi investigar. Para o efeito, entrevistou a D. Maria, uma habitante local meio para o resmungona… e o Presidente da Junta de Freguesia que tudo faz mas nada acontece! A conclusão é simples: a culpa, afinal, é dos peixes e dos chineses que costumam passear à beira rio. Enfim, este fascinante mundo rural não nos pára de surpreender...! Vejam a reportagem.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Geodilema: os padres do séc. XXI.

· Temas:

O caso da pedofilia por parte de padres é um assunto que está muito em voga nos dias que correm e levantou tanta poeira que o próprio Papa vê-se obrigado a interceder em defesa da fé católica. Este problema pede obviamente uma solução e é exactamente isso que pretendemos debater no Geodilema.

S. Francisco Exorcizando - Goya - 1788.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This