Provedores do Mundo.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017 · Temas: ,

Há muito tempo que os nossos provedores estavam emprateleirados, à espera de uma oportunidade de voltarem a brilhar. Sentimos que é este o momento, o tempo dos conteúdos certos, dada a experiência adquirida, e necessária, pelos nossos alunos.

ProvedoresM

Trata-se, na verdade, de um complexo e multifacetado trabalho de um conjunto de grupos de diversas turmas que, sob a égide do IDH, terão ao seu cargo a defesa de um conjunto de países, por meio de Blogues, que aqui serão futuramente apresentados.

Alguns dos pioneiros do Geopalavras, ao ler estas linhas, devem recordar, não sabemos muito bem com que sentimentos, esta atividade que os fez suar e debater! É, aliás, esse o grande objetivo desta renovada iniciativa: criar e exacerbar o espírito crítico, promovendo a exposição e discussão de ideias. Afinal, ser passivo corresponde a que os outros decidam por nós, impondo ideias com as quais muitas das vezes não concordamos. Fixem isto!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Projeto: Ninhos.

domingo, 29 de janeiro de 2017 · Temas: , ,

Hesitamos bastante em alicerçar estes Ninhos, uma ideia de projeto que pretende candidatar-se ao Orçamento Participativo da Escola Secundária da Lixa, no corrente ano letivo. Trata-se, na verdade, de uma novidade oferecida pelo Ministério da Educação aos alunos do 3º Ciclo e Secundário, que pretende dar «voz aos alunos e resposta às suas necessidades e interesses».

Projeto NINHOS

Nesse sentido, e da troca de ideias com alguma das nossas turmas, vingou com muita força esta ideia, que assenta nos seguintes pontos:

    • 1. Inventariar a flora e a fauna dos espaços verdes da ESL;
    • 2. Atrair, repovoar e ou alimentar a avifauna do parque florestal da ESL;
    • 3. Estudar o impacto das ações realizadas;
    • 4. Divulgar e sensibilizar a comunidade escolar e extraescolar;
    • 5. Envolver entidades externas: Universidades.

A ideia é viável e altamente pedagógica. Permite potenciar um espaço diferente da sala de aula,  sem a dificuldade de sair do recinto escolar, reforçar a sua relação com a comunidade escolar, que ainda não o apropriou, dos alunos aos professores, criando-se uma série de situações de aprendizagem compatíveis com diversos saberes.

Assim, manifestada aqui a nossa declaração de interesses, referimos não nos vamos substituir aos alunos. Vamos sim, e até porque o OPE é uma novidade, orientar. A realização do projeto final, a conquista de votos e, quem sabe, a vitória e a execução do projeto, são afinal, exercícios de aprendizagem e de democracia.


Nota: o nome do projeto NINHO foi alterado para NINHOS, a 21 de fevereiro de 2017.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Um mapa em segundos.

· Temas:

A Geografia é a ciência dos mapas. Foi com eles que nos apaixonamos por ela e por isso ocupam, sempre, um lugar especial aqui no Geopalavras. Daí esta ferramenta que hoje apresentamos: o Map in Seconds.

MapinSconds

Trata-se de um criador de mapas gratuito, que se apresenta sob a forma de uma plataforma passível de acomodar dados criados numa simples folha de cálculo, e que no caso nacional, podem ser referentes aos concelhos, às NUT II e III continentais. 

É também possível trabalhar outras regiões, outros países ou continentes por exemplo, cujo resultado final, um mapa, pode inclusivamente ser trabalhado na sua legenda e gradação cromática.


Fonte: Pplware.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Digam adeus ao sol.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017 · Temas: ,

Digam adeus ao bom tempo nos próximos dias. A chuva, que tardava, vai regressar e marcar este final de janeiro que nos tem brindado com frio, mas muito sol. Com a rotação do vento para o quadrante noroeste e sudoeste, as temperaturas mínimas tenderão a subir, mas as máximas não devem sofrer alterações e rondar os 12 graus celcius. Por isso, aproveitem a tarde solarenga, que deverá ser a última enxuta dos próximos dias.

Estadotempo26jana2fev2017

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Plickers, a não perder.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017 · Temas: ,

Andamos há uns anos no mundo do ensino. Assistimos ao fim de algumas ferramentas didáticas como videogravador, o emblemático giz, o retroprojetor ou a experiência falhada dos quadros interativos. Pelo caminho, vimos também surgir novas ferramentas que substituíram aquelas primeiras e, por isso, se tornaram indispensáveis numa aula atual. Um computador, aliado à internet, a par do projetor multimédia, são hoje a condição mínima de uma sala numa escola moderna.

Plickers2

O caminho traçado moldou também uma geração que se habituou aos espasmos tecnológicos da internet, que já não espantam como outrora, que nos faz refletir, nas salas de trabalho de professores, que uma bela de uma exposição teórica, assente num diálogo intenso e implicativo, sustentada por imagens e vídeo é, ainda assim, a fórmula mais eficaz de transmissão de conhecimento. E ficamos felizes por isso.

Plickers1

Mas recentemente, conhecemos o Plickers e refletimos novamente, pois este espasmo mexeu com os alunos, e connosco também. Do que se trata? De uma simples ferramenta que alia a projeção de perguntas de escolha múltipla, à capacidade de todos os elementos da turma responderem, em tempo real, através de um símbolo que o aluno sustenta na mão e é filmado por um simples telemóvel ligado à plataforma online Plickers.

Plickers3

E acredite-se, o que entusiasma os alunos não é a tecnologia implícita, essa não os espanta. O que os entusiasma, tal como a nós, é algo mais primário: a competitividade verificada em tempo real. É de certa forma algo inédito neste mundo do ensino, onde os resultados de uma prova, da mais banal à mais importante, chegam sempre desfasados no tempo. Ora, perante a possibilidade quase imediata de poder constatar a veracidade de uma resposta, tal como permite o Plickers, num jogo de competição / comparação entre pares, quem não se entusiasmaria? Experimentem.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma palavras em diversas línguas.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017 · Temas: , ,

O mapa que nos surge neste artigo foi retirado de mais um ótimo exemplo do mundo colaborativo que a internet possibilita. Trata-se, na verdade, de uma ferramenta que permite ouvir e ler palavras de uma determinada língua pronunciadas noutra, possibilitando ainda adicionar, daquela dupla forma, novas outras.

Locallingual

É um projeto denominado por LocalLingual, e tem autoria de um programador (David), que se inspirou numa viagem realizada ao longo da Europa e da sua enorme diversidade linguística e cultural. A reter.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

O frio muito frio que vem aí.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017 · Temas: ,

Estamos a viver um inverno seco e solarengo. Para tal, muito têm contribuído as correntes de leste, secas, que bloqueiam a passagem dos sistemas depressionários atlânticos. Nos próximos dias, e dado o estacionamento de um anticiclone subpolar no centro da Europa, o frio siberiano que tem afetado aquela região vai chegar até nós (Portugal Continental), acentuando a descida da temperatura e aumentando a formação de geada nas regiões do interior.

Previsão da situação atmosférica europeia para o próximo dia 19 de janeiro 2017

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Sobre a temperatura e precipitação de 2016.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017 · Temas: ,

O findo ano de 2016 foi caraterizado por temperaturas médias elevadas, períodos de muita precipitação, escassa ou até mesmo nula. Metodologicamente, trabalhamos os sobre os dados registados pelo Weather Undergound, e debitados pela MeteoESL,  calculando as médias mensais de temperatura e os totais mensais de precipitação de cada mês de 2016. Por sua vez, confrontamos estes valores aos compreendidos entre os anos de 2012 e 2016, período de referência, que estabelece a média de temperatura e de pluviosidade mensal da estação meteorológica da Escola Secundária da Lixa.

Comportamento térmico e de precipitação de 2016

O realce da comparação cai na temperatura média de 2016 que, com exceção do mês de março, foi sempre superior à media de referência, tendo,  inclusivamente, no mês julho, excedido em 4,2ºC este valor.

A precipitação surgiu contrastada, com com uma temporada de inverno / primavera amplamente chuvosa, e um verão / outono com precipitações inferiores à média. Destaque-se o valor de pluviosidade de janeiro, que atingiu os 500,4 mm,  o nulo do mês de julho, ou os 6,3 mm de agosto.

Em suma, verificamos que a temperatura média de 2016 superou a média de referência, sobretudo no estio; a precipitação foi muito superior aos valores médios na primeira metade do ano e, de um modo geral, inferior na restante.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This