O azevinho nas festividades de natal.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013 · Temas:

Para falarmos da presença do azevinho no idílico natalício, temos necessariamente de começar por falar do visco, uma planta arbustiva, invasora de diversas árvores. Ao passo que o azevinho tem uma distribuição geográfica centrada no sul da Europa, aparecendo, no entanto, em regiões mais setentrionais como a França e o Reino Unido, o visco apresenta uma distribuição geográfica mais variada. Embora visualmente próximas, sobretudo devido à folha perene e às bagas, tratam-se de espécies diferentes.

No norte da Europa podemos encontrar o Viscum album, mistletoe em inglês, de folha arredondada, cujas bagas possuem propriedades medicinais, e que antigamente eram usadas em remédios. Em jeito de curiosidade, refira-se que o druida Panoramix, da série de banda desenhada Asterix, costumava colher o gui (visco em francês) das árvores, para curar muitas maleitas da famosa aldeia Gaulesa.

Pai Natal Verde

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A troca de prendas.

sábado, 28 de dezembro de 2013 · Temas:

Há simplesmente quem não a faça, fartos que estão da paranoia mercantilista em que o natal se tornou, e não é de condenar. Na verdade, por alturas do S. Martinho, ou até mais cedo, surge-nos a Popota, um símbolo incontornável do natal nacional, excitada e aos pulos nos ecrãs televisivos, apregoando não se sabe bem o quê, mas desconfia-se; pela mesma altura, o Lidl, uma multinacional que fatura milhões de euros, sugere que arredondemos os nossos trocos a favor de uma causa nobre; o PingoDoce conta-nos a história da origem do bacalhau e as personagens da publicidade do Azeite Galo retornam novamente à missa. Ai!

Troca de Prendas 2013

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Abraços felizes!

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013 · Temas:

Por entre abraços, cânticos de natal, gestos, fotografia, cultura e diversão, o Sábado Diferente Gatalício culminou como esperado: na patinagem escorregadia que ninguém quis perder, ou melhor, quase ninguém… Ora, a distorção na pratica da modalidade foi tanta, que concluímos que os gatalícios não a chegaram a praticar. Terá sido algo próximo, mais circense, e ainda por batizar, talvez uma “coisa” chamada de gatinagem ou até mesmo no-chão-é-que-se-está-bem-porque-assim-não-caio. Enfim, um eufemismo de Natal!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Elogio da luz.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013 · Temas: ,

A luz é essencial. À fotografia, por exemplo, concede a quem a entende, o poder de captar a aura estética de quem a emana. Com a luz, os sorrisos brilham no escuro e os abraços ficam mais fortes. Na verdade, a luz pode ser paz, família, amor e até a Cidade. Mas na essência, a luz é gesto e atitude; na verdade, a luz é natal!

rrfrf

Imbuídos naquele espírito iluminado, um conjunto de gatalícios de atitude perene, despediu-se, sábado passado, do outono e recebeu o inverno com uma atitude no olhar: desconstruir o pensamento e tentar ver as “coisas” de uma outra forma. Essa atitude traduziu-se em fotos, as quais aguardamos ansiosamente para ver, mas também em gestos, preocupações, muitos abraços, mãos dadas, jogos de “amigos secretos” e dádiva a quem mais necessita, se calhar o mais importante daquele entardecer.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Ventos.

· Temas:

Este interessante globo dos ventos terrestres,  baseado em dados do National Center for Environmental Prediction (nos EUA), projeta a direção dos ventos e a sua intensidade a diversas altitudes (que correspondem a diferentes pressões atmosféricas). Por exemplo, para à altitude média de 100 metros, um valor médio para todas as regiões costeiras, corresponde uma isobárica de 1000 hPA; as isóbaras de 850 hPa e 700 hPa correspondem ao intervalo entre 1500 e 3500 metros de altitude, respetivamente, sendo que ao valor final deste intervalo, o vento não encontra particamente nenhum atrito, torna-se geostrófico, e é essencial nas previsões meteorológicas.

Globo de Ventos

Correspondentemente às isobáricas de 70 e 10 hPa, que correspondem às fronteiras da estratosfera, a 17,5 km e 26,5 km de altitude respetivamente, podemos observar os sistemas de pressão, a circulação geral atmosférica ou as correntes de jato, tão usadas pela aviação, e obter uma ideia da redistribuição da energia à superfície da Terra.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Confirma-se um sábado muito diferente.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013 · Temas:

A previsão do estado de tempo para amanhã aponta para: «céu pouco nublado ou limpo, tornando-se gradualmente muito nublado, e com períodos de chuva, em geral fraca, a partir do meio da tarde». Ora, a experiência diz-nos que há, por norma, um certo um desfasamento de horas  entre a previsão e o facto meteorológico. Portanto, se o previsto chuvisco do meio da tarde chegar a aparecer, será já por volta da hora de regresso e um chuvisco nunca fez mal a ninguém, muito pelo contrário!

Untitled-1

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Street Basket, edição 2013.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013 · Temas: , ,

Quase tão regular como o natal, o calendário deste derradeiro mês de dezembro escolar é pautado pela competição de Street Basket. É uma atividade verdadeiramente envolvente, disputada por equipas de três elementos e distribuídas de acordo com o seu escalão etário. Toda esta dinâmica, organizada pelos professores de Educação Física e de resultado simples e eficaz, obriga, no entanto, a uma miríade de pormenores que passam despercebidos aos menos entendidos na modalidade. 

StreetBasket

Na verdade, desde o árbitro de cada encontro, passando pelos oficiais de mesa,  à coordenação de equipas e escalonamento de horários dos jogos, esta competição é um caso de sucesso entre os alunos, que ajuda a divulgar uma belíssima modalidade desportiva, infelizmente tão preterida relativamente ao futebol.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma estória.

domingo, 15 de dezembro de 2013 · Temas: , , ,

As belas e divertidas peças teatrais, cheias de criatividade e talento, proporcionadas pelo D neste final de período, permitem várias reflexões. A primeira faz-nos questionar o modelo de avaliação, cada vez mais em vigor, onde a frieza dos números se sobrepõe ao resto, ditando regras e diretrizes. Ao que parece, e tal como provaram este alunos de Humanidades a propósito de um tema de trabalho: o mundo rural, as fórmulas de Excel, são castradoras e têm uma dificuldade enorme em contemplar a dimensão humana que não se compadece com a mera réplica de conteúdos, tantas vezes inócuos.  

Foto 1

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Sábado Diferente na pele de um gato!

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 · Temas:

O Natal está aí à porta e no próximo Sábado Diferente vamos percorrê-lo com olhares de gato! Este felídeo, que habita discretamente as nossas cidades, mantem uma interessante relação de domínio não manifesto do território urbano. Barões de feiras e mercados municipais, são donos de hábitos tardios e ações furtivas na penumbra do ritmo urbano.

Definitivo

O seu olhar não é comum, mas é com que vamos olhar o natal do Porto no próximo dia 21 de Dezembro. Nesse dia, a par dos dois seguintes, o comércio prolonga o seu horário de funcionamento, invade o horário dos gatos, e cria oportunidades para os incautos realizarem as suas compras de natal. A cidade, já de si atarefada, torna-se assim mais fotogénica, sobretudo se a olharmos como olha um gato.

Ora, o desafio proposto aos participantes deste Sábado Diferente, é que pensem e olhem como se fossem um gato, e obtenham três fotografias gatalícias, para uma pequena exposição a realizar aqui no Geopalavras e na biblioteca da escola. Na verdade, trata-se de um exercício complexo e que obriga a uma certa desconstrução do olhar: uma vez definido o objeto, há que pensar naquilo despertaria a atenção de um gato, e abstrair-nos do entendimento humano do mesmo. Não é fácil, mas os resultados podem ser muito deliciosos!

Paralelamente, pretende-se que a equipa BEGA realize umas caches urbanas durante o percurso, totalmente pedestre, na zona da Boavista, Cedofeita e Baixa do Porto. Haverá uma pausa para jantar e uma visita à Serra do Pilar, talvez o mais belo miradouro do Porto.

Em suma, este Sábado Diferente começa na Estação de Caide pelas 13.45h (suburbano das 13.58h) com destino a S. Bento. O périplo pedestre e urbano (com pausas para lanche e jantar) dá-se até às 23.00h, hora de regresso a Caide, com chegada prevista para as 0.03h.

Á semelhança do passado Sábado Diferente, é impreterível a inscrição na seguinte lista, e a impressão, e respetivo preenchimento, da seguinte autorização desta atividade. Para os estreantes nestes Sábados Diferentes, é obrigatória a presença do Encarregado de Educação durante a partida em Caide.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Novembro de vento leste.

domingo, 8 de dezembro de 2013 · Temas:

O mês de novembro apresentou dois períodos de comportamento térmico diferentes. A temperatura média mensal a situou-se nos 8,8ºC. A humidade relativa, devido a vento de leste que predominou na segunda quinzena, contribuiu para o valor médio do mês de 66,9% e, consequentemente, um baixo valor médio de condensação, correspondente a 4,1ºC.

Médiasnovembro 2013

Observando o ritmo das médias mensais dos valores mínimos, médios e máximos deste mês de novembro, verificam-se duas quinzenas distintas, a inicial com valores elevados (quer máximos, quer mínimos), fazendo jus ao verão de S. Martinho. A segunda quinzena, muito influenciada pelo vento tendencialmente de leste, baixou bastante os valores de temperatura média e amplificou as amplitudes térmicas diárias, dada a baixa humidade do ar característica daquela corrente.

Tempenovembro 2013

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A entrada.

sábado, 7 de dezembro de 2013 · Temas:

A entrada da escola define o seu resto. De linhas retas e pontos de fuga, lajes de granito polido e paredes brancas, a escola tal como a sua entrada, baniu as linhas curvas e adotou arestas bem vincadas que separam, e não, os blocos de edifícios que a compõem num imenso contínuo.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Ganhar o pão.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013 · Temas: ,

Ganhar o pão é título do segundo episódio da antológica série documental - Portugal, um retrato social, que data já de 2003 mas cujo conteúdo mantém-se perfeitamente atual. Este conjunto de sete episódios, dirigidos por Álvaro Barreto e realizados por Joana Pontes, aborda a sociedade nacional nas suas várias dimensões, num pedagógico exercício comparativo com o passado recente do país.

Este episódio em concreto, retrata a rápida mutação do perfil da população ativa nacional. Em poucas décadas abandonamos o campo, obliteramos a pesca, abordamos a industria de uma forma pouco competitiva e passamos a um país de serviços, de economia frágil e pouco competitiva. São assim 50 minutos que traçam o retrato de um país que cresceu enjeitado e que, de certa forma, esqueceu os seus eixos de desenvolvimento.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A propósito do frio dos últimos dias.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 · Temas: ,

O frio que se tem verificado nos últimos dias tem um culpado: um anticiclone. Estes centros barométricos têm a mania de estacionar onde não devem e, lá está, põem toda a gente a bater o dente. Por isso, deviam ser multados!

Untitled-1

Um destes nosso “amigos” anda estacionado há cerca de duas semanas pelas bandas do Canal da Mancha,  e tem bloqueado as passagens os ventos de oeste que, nesta altura do ano, trazem sempre consigo muita chuva, mas também ar marítimo ameno. É como se tivessem tapado o nosso ar condicionado natural, o Atlântico, com um enorme jarrão transparente de ar frio e seco, que sopra do ártico, e constitui-se, na sua chegada a Portugal, Continental, num vento de leste / nordeste, que é sempre sinónimo de temperaturas extremas.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This