Le chien le plus cool du monde!

quinta-feira, 30 de junho de 2011 · Temas: ,

E porque o Verão também brincadeira, fica aqui uma daquelas coisa giras que dá a volta ao mundo, é vista por milhares de pessoas, e vêm parar à caixa de correio nem se sabe bem como! É um pequeno vídeo de um sítio francês dedicado ao surf, que nos mostra os dotes de surf de um daqueles “bóbis” superfofo que toda gente sonha em ter. Ah! Este pelo medo não tem medo da água!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Supercromos de Verão!

quarta-feira, 29 de junho de 2011 · Temas:

Nesta estação tens à tua disposição uma super colecção de cromos para juntar, baralhar e usar! Trata-se dos Supercromos de Verão, uma colecção da “fauna” do décimo “é” e “efe” que faz delícia de qualquer pessoa com espírito científico altamente imaginativo, que se interesse particularmente por fenómenos paranormais. E digo isto porque as fotos dos meus queridos alunos daquelas duas turmas são… digamos, de difícil interpretação.

Supercromos

Para coleccionar os cromos de toda esta “fauna” terás apenas de estar atento aos artigos que o Geopalavras publicará, mais ou menos, durante o todo o Verão. Em cada um deles estará um ou vários cromos escondidos (sob a forma de hiperligações), possibilitando-te coleccioná-los e arrumar com a caderneta dos Supercromos de Verão ao longo das férias (para a caderneta podes usar o caderno de Geografia que guardas religiosamente debaixo da almofada e lês todas as noites!). No entanto, se terminares a colecção mais cedo, podes muito bem pedir aos teus pais que te levem ao ZOO da Maia, onde poderás usar a caderneta completa como guia, para identificares a “bicharada” que lá abunda, come amendoins e rasteja (que raio de bichos!). Ah! O primeiro a provar ter terminado a sua caderneta, ganha uma Bola de Berlim e um Sumol de Ananás!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Verão na Casa da Música.

sábado, 25 de junho de 2011 · Temas: , ,

Este ano o Verão não acontece só na praia e está também na Casa da Música, que nos brinda até ao fim da estação, com muitos concertos dos mais variados géneros musicais. Estes acontecem em vários espaços do Porto, a preços muito reduzidos e, inclusivamente, gratuitos. Há concertos que decorrem na esplanada frontal à Casa da Música, no Palco SuperBock (na zona das galerias) ou mesmo em vários cafés da baixa. Confere aqui o programa, no excelente sítio da Casa da Música, e vê o vídeo promocional.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Um dia com gente do mar.

sexta-feira, 24 de junho de 2011 · Temas: , ,

Tal como verdadeiros “marinheiros de água doce”, foi um punhado de gente de terra firme que na passada terça-feira, derivou da escola até à lota de Matosinhos, onde contactamos e falamos com a gente do Mar. Aquela que se lê nos livros e nos fascina nos filmes. Sim, foi mesmo verdade!

DSC_5388Como previsto, saímos bem cedo e descemos na Baixa do Porto que, por esta altura festiva do ano, se encontra perfumada de pregões joaninos: “- Sardinhaaaa fresca…” ou “- Vai manjerico freguesa?”. O mercado do Bolhão, por esta altura transformado DSC_5415no armazém oficial da maior noite do Porto, permite ao verdadeiro folião de S. João encontra o “equipamento” necessário para cumprir a tradição: cidreira, ervas aromáticas, alho-porro e até mesmo os ultra-modernos martelinhos de encher, indispensáveis para uma noite divertida e bem passada.

Claro está que também visitamos os locais da moda, os centros comerciais que pela baixa DSC_5419 existem. Estes interpretam o S. João de uma forma muito peculiar vendendo, por exemplo, sofisticados balões de S. João, dez vezes mais caros do que os tradicionais mas, segundo as especialistas da loja, muito mais eficazes! Apesar do discurso mais ou menos convincente, não os compramos, limitámo-nos a ouvir e talvez arriscar nos tradicionais que, para o efeito, não justificam tanta sofisticação.

DSC_5457Depois do almoço seguimos para o nosso objetivo principal de viagem, a Docapesca de Matosinhos. Tomamos o Metro e saímos em pleno centro daquela Cidade, bem perto do porto de pesca, no qual entramos como gatos, à socapa. Como não tínhamos hora marcada, tivemos que aguardar um pouco pela autorização. Foram extremamente acolhedores e até nos proporcionaram um guia, o Sr. Jorge, que embora desempenhe funções de segurança, domina a arte da pesca e conseguiu responder às múltiplas questões que lhe colocamos, num cenário cheio de curiosidades. 

Vimos vários tipos de embarcações, umas mais ligadas à pesca da sardinha e outras, maiores, ligadas a outro tipo de pescado, muito variado. Tivemos inclusivamente a oportunidade de assistir à descarga de um arrastão que, das suas “entranhas”, expelia cabazes de peixe fresco, pronto a ser vendido na lota, mesmo ali ao pé.

DSC_5553A lota, propriamente dita, é um enorme armazém dotado de boas condições higiénicas, que possui uma bancada, frontal a uma esteira rolante, por onde DSC_5593 “desfilam” tabuleiros de peixe dividido e já calibrado, pronto a ser leiloado. O processo é simples: cada cliente está munido de um comando que lhe permite licitar os tabuleiros de peixe que vão passando e cujo valor por quilo surge em contagem regressiva em dois ecrãs eletrónicos, situados por cima da esteira.

Notamos também que há uma imensidão de gente ali a trabalhar e cuja função nem se percebe muito bem, mas que contribuem para que nas peixarias e supermercados, exista peixe fresco quase todos os dias, vindo do nosso mar. Uma coisa muito curiosa: havia sempre alguém pronto a esclarecer-nos sobre o nome de um peixe ou de utensílio por ali existente e nunca ficamos sem resposta.

Foi um dia mágico que recordaremos sempre e cujas fotos se podem ver aqui. Ah! A mítica t-shirt afinal sempre existe!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Sábado diferente numa terça-feira diferente.

domingo, 19 de junho de 2011 · Temas: , ,

Pois é, já acabaram as aulas mas os Sábados Diferentes continuam… ou melhor, as Terças Diferentes continuam! Sim, desta feita o tema é a Faina da Sardinha, peixe típico desta altura do ano (e estou em crer que os aprendizes de geógrafo sabem explicar muito bem porquê), e o destino é o maior porto de pesca nacional, Matosinhos.

Portanto a ideia é a seguinte: levantar bem cedo na Terça e apanhar o combóio em Caíde, bem pela fresca (às 9.37H). Depois seguimos de metro para Matosinhos e visitamos a Docapesca (tóca a levar um saco para comprar sardinhas e o meu presente…). O almoço será por ali perto (baixa de Matosinhos) e vamos tentar gastar bem pouco porque as férias ainda agora começaram. De tarde passeamos pela marginal, visitamos um ou dois museus e o regresso, já em Caíde, deverá acontecer pelas 20.29H. “Órraite”?

Vê o programa mais em detalhe no banner e, se decidires ir, confirma com uma msg e / ou email! Ah! Nesta terça podem estrear aquela T-shirt que tanto adoram e que diz assim: o Prof. Pedro é o maior e dá boas notas!

Sábado Matosinhos

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Exposição Recordar.

quinta-feira, 16 de junho de 2011 · Temas: , ,

A exposição Recordar, que esteve patente no Bloco II da ESL durante duas semanas, terminou e seu balanço já se tinha realizado, mesmo antes de ela ter sido montada. E quando digo isto, Filipenem sequer incluo naquela equação, os corajosos elogios que recebemos (eu, a Cátia, o Filipe, a Mariana, a Melanie e a Susana…) um pouco de todo lado, directa ou indirectamente. Refiro-me sim ao ensinamento que a sua realização nos permitiu tirar, que é mais ou menos assim: com vontade, diálogo, troca de ideias e partilha, tudo surge, tudo se faz, tudo resulta! É simples.

Mariana e SusanaNas várias reuniões que tivemos, houve sempre muita sintonia, aceitação e troca de opiniões, que constituíram a base das ideias materializadas na exposição. Para as realizar, foram incontáveis as vezes que nos deslocamos ao Bloco II, imaginámo-las no espaço, criticámos e construímos novas ideias. É um processo aparentemente simples, que apregoo, que parece ter feito escola e resultado em pleno.

Contudo, só o brilhantismo dos Photo5 e muitos da mesma geração, permitiu que pormenoresCátia e Sofia tão simples como concepção das letras, a escolha e impressão das fotografias ou a coordenação de equipas, tenha permitido que no dia da montagem, e durante a exposição, as coisas tenham resultado em pleno. Foi uma “máquina humana” a funcionar mesmo até no final, da derradeira etapa da exposição: a sua desmontagem.

MelanieFoi assim com um enorme prazer que vi os meus “pequenitos” do sétimo ano, agora “grandes”, a fazer coisas nascer coisas que Deus quer e o Homem sonha. Fico feliz por mim, e em nome de outros professores que os moldaram, ver a nossa obra em acção a fazer coisas que nos permitem sonhar. Todas as fotos aqui.

Obra feita!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

A Turma 2 - EFA em Lisboa.

quarta-feira, 15 de junho de 2011 · Temas: , ,

Esta viagem de estudo foi muito interessante de realizar e, de certa forma, também muito original e cativante. Porquê? Bom, por um lado, porque se trata de uma turma constituída por alunas cuja complexidade familiar (algumas mães e ou mesmo avós) incompatibiliza, normalmente, saídas longas. Daí ser de louvar o esforço compensatório de muitas (senão todas), na participação. Por outro lado, a forma como foi traçado o plano de viagem, com amplas trocas de ideias nas aulas de Cidadania e Profissionalidade, permitiram construir uma viagem de dois dias à nossa capital que, para algumas das alunas, foi uma autêntica novidade! Foi bom e ficam as fotos que alimentam as recordações.Untitled-1

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Recordar 2010-2011.

· Temas: , ,

Este ano lectivo, quase no fim, fica indelevelmente marcado pela profunda reformulação do espaço físico da ESL. O antigo edifício sucumbiu e, no lugar do mesmo, está a tomar forma um novo. A edição deste ano do S. Martinho, o Natal e até mesmo o espetáculo Ídolos na minha escola, foram os derradeiros eventos de monta, a ter lugar no demolido edifício da ESL.

Recordar 2010-2011

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Anima final.

terça-feira, 14 de junho de 2011 · Temas: , ,

Anima? Sim, o 12ºI que, como todas as turmas finalistas, está de abalada para a vida. Fica aqui um pequeno doce que aproveita os olhos dos rostos fatigados pela viagem, a caminho de uma certa Lisboa. Até um dia destes.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Recordar 2009-2010.

domingo, 12 de junho de 2011 · Temas: , ,

Este ano lectivo foi marcado por uma belíssima feira de S. Martinho, a última realizada ao ar livre no recinto do antigo edifício da escola, e por um Carnaval muito colorido, que voltou a envolver grande parte das turmas da escola. Pelo meio, há fotografias de alguns Sábados Diferentes, no Porto e em Jugueiros (freguesia de Felgueiras), e mais algumas cenas do quotidiano da escola.Recordar 2009-2010

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Recordar 2008-2009.

sexta-feira, 10 de junho de 2011 · Temas: , ,

Ano de eventos e iniciativas. A entrada do curso de Técnicos de Apoio Psicossocial trouxe à escola um novo fulgor, criando novas situações no quotidiano da escola. Houve também uma largada de balões, a Semana da Ciência, I Semana Verde, um nevão (cujas excelentes fotografias são da autoria do Professor Carlos Eduardo), um desfile de Carnaval com apenas um singular representante da ESL, a fantástica iniciativa: Let´s Form a School Band, a tomada de posse do Director da Escola (Professor Armindo) e a sinalização dos 25 anos do edifício da ESL.Recordar 2008-2009

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Recordar 2007-2008.

quarta-feira, 8 de junho de 2011 · Temas: , ,

As fotografias deste ano lectivo ficam marcadas pela cor e ritmo do desfile de carnaval. O céu nublado daquele daquela manhã, polarizou rostos, disfarces e toda a cor daquele inesquecível carnaval, expresso em dezenas de fotografias bastante expressivas. Há também uma visita de estudo a E.L.A. e ao Parque Biológico de Avintes, um périplo por Portugal sobre o tema da água, troca de presentes de Natal e situações simples do quotidiano da escola. Recordar 2007-2008

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Recordar 2006-2007.

terça-feira, 7 de junho de 2011 · Temas: , ,

As fotos de cariz mais pessoal refira-se, representam uma pequeníssima amostragem da série de actividades deste ano lectivo: uma encenação teatral à disciplina de Língua Portuguesa, várias saídas de estudo à Estação Litoral da Aguda (ELA) e ao Centro de Educação Ambiental das Ribeiras de Gaia (CEAR). Há também fotografias de uma caminhada no Trilho da Geira e Vale do Rio Gerês, no parque nacional homónimo.

Recordar 2006-2007

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Exposição Recordar.

domingo, 5 de junho de 2011 · Temas: , ,

«[…] todo o cerimonial exclui a pergunta.

Não se interroga o rei no seu trono, o general na parada, o Deus na sua glória.»

- Agustina Bessa-Luís, Dicionário Imperfeito.

Foi difícil, confesso, escrever sobre esta exposição. Se o resultado da obra, erguida conjuntamente com aqueles que constituem o seu próprio tema, é alento bastante, não deixa de ser com o peso da saudade que os vejo quase, quase a partir. Recordar 2005-2006

A exposição cobre seis anos lectivos e acompanha sobretudo, a geração que, desde 2005, estudou na Escola Secundária da Lixa os seis anos de ensino básico e secundário. Com rigor, há uma série de actividades, de cariz mais pessoal, retractadas nas fotografias, mas que não deixam de ser uma peça importante na memória colectiva da nossa escola e sobretudo na dos alunos retratados.

As fotografias aqui expostas, encontram-se agrupadas por anos lectivos. Neste sítio, e por razões óbvias, o número de fotos seleccionadas é incomparavelmente superior às patentes na Exposição Recordar - Bloco 2 da ESL  de 6 a 11 de Junho de 2011. Estão também disponíveis para consulta e download e posteriormente serão arquivadas aqui, e no acervo digital de fotografia e vídeo, disponível na Página Web da escola.

Para a exposição física, uma das tarefas mais difíceis de realizar foi a selecção das fotografias. Projectamos um número, cerca de 300, que apenas representa uma ínfima parte das milhares obtidas no período em causa. Nesta selecção afastei-me, e a mesma ficou ao cargo dos obreiros e co-autores desta exposição, os Photo5, uma equipa constituída pela Cátia, a Mariana, a Melanie, o Filipe e a Susana. O seu olhar pelas fotos e a sua selecção foi muito importante porque afinal “só se vê bem com o coração”.

Já o escrevi algures, volto a repetir. Esta geração não é assim por acaso. Basta olhar para o fio condutor, expresso nas fotografias, e conseguimos vislumbrar logo desde o início, um denominador comum: o poder e a mestria do saber fazer, traduzível nas inúmeras actividades retractadas. É por isto que custa. Custa muito. Contudo, “no fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas que o vento não conseguiu levar […]”.

Fica, para já, o ano lectivo de 2005 – 2006. Os restantes serão publicados ao longo da semana.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Torre de Belém 360º.

quinta-feira, 2 de junho de 2011 · Temas:

Integrada no roteiro de uma visita de estudo a Lisboa, por parte da Turma 2 - EFA da ESL, a Torre de Belém inspira quem passa e invoca os tempos áureos da nação. Segundo a Wikipédia, «A Torre de Belém é um dos monumentos mais expressivos da cidade de Lisboa. Localiza-se na margem direita do rio Tejo, onde existiu outrora a praia de Belém. Inicialmente cercada pelas águas em todo o seu perímetro, progressivamente foi envolvida pela praia, até se incorporar hoje à terra firme.

O monumento se destaca pelo nacionalismo implícito, visto que é todo rodeado por decorações do Brasão de armas de Portugal, incluindo inscrições de cruzes da Ordem de Cristo nas janelas de baluarte; tais características remetem principalmente à arquitectura típica de uma época em que o país era uma potência global (a do início da Idade Moderna)».

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Palácio da Pena 360º.

· Temas:

Um dos momentos altos da Anima Lisboa, foi a visita ao Palácio da Pena e respectivos jardins, no Concelho de Sintra, a poucos quilómetros da Capital. Aquele monumento, Património da Humanidade, «Constitui o mais completo e notável exemplar de arquitectura portuguesa do Romantismo. Edificado a cerca de 500 metros de altitude, remonta a 1839, quando o rei consorte D. Fernando II de Saxe Coburgo-Gotha (1816-1885), adquiriu as ruínas do Mosteiro Jerónimo de Nossa Senhora da Pena e iniciou a sua adaptação a palacete. Para dirigir as obras, chamou o Barão de Eschwege, que se inspirou nos palácios da Baviera para construir este notável edifício. Extremamente fantasiosa, a arquitectura da Pena utiliza os "motivos" mouriscos, góticos e manuelinos, mas também o espírito Wagneriano dos castelos Schinkel do centro da Europa. Situado a 4,5 Km do centro histórico.»

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This