Máscaras da moda #1.

terça-feira, 21 de abril de 2020 · Temas: ,

O tempo não é propício a muitas das folestrias habituais. Estamos enfiados em casa, podemos jogar Minecraft até chatear, pôr a carrada de séries de TV em dia, e alguns filmes também, brincar com o cão até ele se cansar, o que não é nada fácil, ou até descobrir que existem livros sem figurinhas que não dão para clicar, mas para ler. Ainda assim, necessitamos de sentir o sol na nossa pele, caminhar contra o vento, sentir frio e, logo a seguir, calor, e nunca estar contente com isso.

 

Ora, parece que esse momento está para breve, e poderá perdurar no tempo se te precaveres com uma máscara. Esta, por si só, de nada vale sem o resto dos cuidados essenciais de higiene: lavar frequentemente as manápulas, cortar as unhacas das mãos e dos pés, e sobretudo arrumar a barafunda que reina no teu quarto, se é que lhe podes chamar tal, onde proliferam todo o tipo de “covides” por descobrir.

Portanto, e a pensar no quotidiano deste próximo verão, resolvemos desafiar alguns dos nossos queridos pardais, a ditar a moda-máscara Covid2020. Os resultados, promissores, provam que esta geração sabe bem com que “linhas de cose” e não há nada a temer, que o diga o nosso Presidente da República bem protegido pelas máscaras desenhadas pelos pardais!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Música de Umbrella.

domingo, 19 de abril de 2020 · Temas:

A música é uma ótima companhia e não foi indiferente ao encontro Erasmus Umbrella do passado mês de março, acontecido na ilha da Gran Canária. Numa das vezes que cruzamos um dos recreios da escola que nos acolheu, ouvimos um grupo de jovens a cantar como se diante deles estivesse uma enorme plateia. Fizeram-no para a câmara, não por vaidade, mas por prazer e forma de estar.

As manifestações de cultura espontânea são dos melhores sinais que se pode observar numa escola. Por isso, ao ver alunos a cantarolar num banco de escola, agarrados a um violão, desligados do mundo, mas para ele a contribuir, sentimos que nem tudo se reduz ao mesmo e há muito mais do que o banal.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Março pelas Canárias.

quinta-feira, 16 de abril de 2020 · Temas:

Parece longínqua a viagem que fizemos à Gran Canária em março passado, sobretudo ao recordar as fotos que relatam, por si, uma semana de intensos dias de sol e calor. É saudade deste, mas também de uma vida normal, que afinal era feliz.

O acolhimento foi feito pela escola IES Juan Pulido Castro, em Telde, a segunda maior cidade da ilha, que acolheu o primeiro encontro internacional de alunos do programa Erasmus Umbrella. A semana cultural, geográfica e rica na descoberta de uma paisagem, clima e biodiversidade diferentes, criou laços, daqueles que custam a deslaçar, e são sinónimo do sucesso deste primeiro encontro. Os anfitriões foram excelentes e ombreiam com a promessa dos próximos encontros.

Os alunos que levamos foram excelentes companheiros e aprendizes. O David, a Joana, a Mariana, a Margarida e a Rafaela, foram curiosos, ousados e também intérpretes do inglês. E e se fizeram amizades daquelas que fazem chorar, foi porque se cruzaram com alunos que as provocaram, e é bom sinal… Até breve!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Janeiro, fevereiro e março.

sábado, 4 de abril de 2020 · Temas:

Da análise global do comportamento dos valores de temperatura e precipitação registados pela estação meteorológica da ESL ao longo dos meses de janeiro, fevereiro e março, destaca-se os elevados valores de temperaturas máximas e a pouca precipitação registada ao longo do mês de fevereiro.

Detalhando, os valores médios de temperatura em janeiro e março não superiorizaram os respetivos valores de referência (média de 2012-2019), foram até ligeiramente inferiores. Contudo, fevereiro ultrapassou aquele valor de referência em larga medida, apresentado um valor médio 1,9ºC superior. Embora março em termos térmicos também se desvie do valor de referência (de 13,1ºC), a volatilidade deste mês de transição dota neste desvio alguma tolerância, sem surpreender. As temperaturas máximas registadas em janeiro, e sobretudo em fevereiro, são inéditas pelo seu valor e pelo período de tempo que ocupam.

Quanto à precipitação ao longo dos três meses, verificou-se que ocorreu concentrada em três períodos diferentes. Fevereiro, a par do seu comportamento térmico, apresentou valores baixos em relação à média do mês, choveu duas vezes menos.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This