Delírios em dois dias de verão.

quarta-feira, 12 de julho de 2017 · Temas: , ,

Descrever o inédito é sempre uma tarefa árdua. Não há pontos de referência, elos de comparação, que permitam qualificar o que se vê; por isso, e nestes casos, apela-se à sensação, aquela “coisa” que nos permite dizer: “que momento!”. A pintura das Escadas da Natureza, uma das várias tarefas do projeto Ninhos, foi um desses momentos, sem comparação, que perdurará durante muito tempo.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário