O céu para descobrir em agosto.

Há muitos motivos para olhar para o céu, à noite, em agosto. Neste fim de semana, e sobretudo amanhã (dia 12), a Terra, no seu movimento de translação, cruza-se com o rasto de poeiras deixadas pelo cometa Swift-Tuttle, originando uma «chuva de meteoros» denominada de Perseidas (assim denominadas devido onde o fenómeno parece ocorrer, a Constelação de Perseus) ou Lágrimas de São Lourenço. Nestes dias, e para ajudar a melhor observação deste fenómeno, o nosso satélite natural desaparecerá do céu antes da meia-noite, criando a escuridão necessária para melhor observar as estrelas cadentes.

Perseidas Med

Mas agosto traz mais surpresas astronómicas. O cometa ISON (um cometa rasante, descoberto em 21 de setembro de 2012 pelo astrónomo Vitali Nevski de Vitebsk), começa a ser visível para pequenos telescópios e binóculos, tornando-se visível a olho nu no final de outubro ou no início de novembro e permanecendo assim até o meio de janeiro de 2014. Isto acontece depois desta “maravilha gelada” ter estado invisível nos céus, devido ao brilho do Sol.  Ainda a propósito deste cometa, refira-se que pode «tornar-se extremamente brilhante se permanecer intacto […] De acordo com a revista Astronomy Now pode até se tornar mais brilhante que a lua cheia [e] tornar semelhante ao Cometa McNaught, ao Grande Cometa de 1680 […]». Dele voltaremos a falar aqui.

A par destes cometas, os céus de agosto permitem uma boa visibilidade de Mercúrio, Marte e vários outros planetas, num interessante alinhamento celestial. Júpiter, Marte e Mercúrio serão possíveis de observar a Este, nos céus matutinos do início do mês. A meio do mês, e durante a madrugada, podemos procurar Mercúrio junto à linha do horizonte, e Marte e Júpiter no alto. Quanto a Vénus, visível como se de uma estrela se tratasse, desaparece dos céus logo após o pôr-do-sol, enquanto Saturno desaparece na linha do horizonte por volta das 23 horas.

Ora, para ajudar nesta maravilhosa descoberta do céu, temos imensas ferramentas ao nosso dispor. Para PC temos por exemplo: Sky View Cafe, Google Earth Sky ou o World Wind da NASA. Já para Android temos muita coisa interessante, mas destacamos o Vortex e o Mobile Observator. Ambos excelentes se usados no campo, à noite, e com recurso a GPS.


Fontes: wikipédia / space.com / asteromia.net / oal.ul.pt

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário