A maior das Luas.

sexta-feira, 18 de março de 2011 · Temas: ,

Amanhã (Sábado, 19 de Março de 2011), devido a uma conjugação de fenómenos astronómicos, a Lua estará mais próxima da Terra e, por consequência, maior. A explicação para este fenómeno deve-se à órbita da Lua à volta da Terra. Este movimento elíptico, leva a que ao longo da sua órbita, o satélite não esteja sempre à mesma distância do nosso planeta. Em média, quando a Lua está mais próxima da Terra está a cerca de 363 mil quilómetros e este ponto chama-se perigeu. Quando está mais longe, está a cerca de 405 mil quilómetros, o apogeu da Lua. No perigeu, o astro está mais próximo de nós cerca de 42 mil quilómetros e, visto da Terra parece, 14 por cento maior. Efectivamente, a Lua completa a sua órbita mais ou menos a cada mês. Amanhã a Lua vai estar no seu perigeu ao mesmo tempo que é Lua cheia. O que é raro, acontece uma vez em cada 18 anos. A distância exacta da Terra à Lua durante a madrugada de domingo será de apenas 356 mil quilómetros.


A única consequência desta aproximação vai ser um aumento de centímetros das marés cheias e uma diminuição de alguns centímetros durante as marés baixas. Não há mais nenhum risco acrescido.

A NASA recomenda as pessoas a olharem para o astro durante o nascer da Lua. Por motivos que ainda não são totalmente compreendidos pelos astrónomos (ver artigo publicado no Geopalavras a este propósito: A Lua do Solstício), mas que envolvem algum tipo de ilusão visual, durante o nascimento a Lua parece especialmente maior. Refira-se que amanhã, em Portugal continental, o satélite vai nascer às 18h52, cerca de 40 minutos depois de ter atingido a Lua cheia. Vai pôr-se na madrugada de domingo, às 6h39.

Fonte:
- Jornal Público (adaptado).

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário