Equilíbrio terrestre.

quinta-feira, 9 de julho de 2015 · Temas: , ,

A canícula que hoje se fez sentir promoveu a temperatura ao valor máximo do ano, verificado até ao momento, na estação meteorológica da ESL: 42,7ºC pelas 14.51h. Este facto deveu-se à direção do vento, sempre de sudeste até meio da tarde, depois de ter atravessado quase toda a Península Ibérica, e proveio do Norte de África carregado de poeiras.

42,7ºc

Felizmente, a natureza ainda vai dando resposta a estes “exageros” e, como resposta, a direção do vento inverteu-se durante a tarde de hoje, arrefecendo sensivelmente as temperaturas pelo fim da tarde. Trata-se de uma resposta à diferença de  pressão atmosférica verificada no Atlântico e na Península.  Na verdade, o nosso querido planeta toma muito bem conta de si desde há milhões e milhões de anos e consegue dar respostas que visam o equilíbrio, como esta da nortada atlântica, amenizadora da temperatura.

Mas há muitos e bem maiores: a transferência de energia através da corrente quente do Golfo do México, que determina todo o clima europeu e torna o continente confortável para habitar; as monções, que provocam chuvas essenciais para habitats e para o próprio Homem; ou até mesmo os degelos primaveris, que alimentam rios e lençóis freáticos, um pouco por todo o mundo.

De facto, a Terra gere-se com esta procura incessante de equilíbrio e, se nos portarmos bem, poderá ser que o consiga fazer durante muitas e muitas gerações vindouras.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário