A cartografia digital e o Google Maps.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014 · Temas:

Já ninguém tem dúvidas que o Google Maps, e similares, são das grandes ferramentas proporcionadas por este advento da internet, acima de tudo pela possibilidade de georreferenciação  que permitem. Já aqui publicamos mapas de ventos, rotas de aviões em tempo real ou até mesmo de paisagens fotogénicas; publicamos agora dois interessantíssimos objetos de estudo, ambos com base mundial.

Florestas Landsat

O primeiro congrega a informação obtida pelo satélite Landsat  ao longo de 12 anos, foi elaborado pela Universidade de Maryland (EUA), e trata da ocupação florestal do nosso planeta. É visível a marca de 12 anos de incêndios no nosso país, que se traduzem por manchas avermelhadas, que significam um rápido declínio florestal. Não é uma situação exclusiva do nosso país,  mas é infelizmente recorrente.

O segundo traça a rota do plástico nos oceanos ao longo de 10 anos, por força das correntes marítimas, e foi realizado por uma dupla de cientistas australianos. Simulando a descarga de lixo largado na nossa costa, é possível observar que o mesmo viaja até à costa norte-americana em apenas em dois anos o meio. Um triste cenário que cada vez mais polui os nosso oceanos e não só.

Rota do Plástico

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Uma resposta a: “A cartografia digital e o Google Maps.”

  1. - O Google maps é de facto muito bom! Ass: Sérgio 11ºD

    ResponderEliminar