Biomas.

sexta-feira, 8 de junho de 2012 · Temas: ,

Queridos alunos do sétimo ano, para terminar o ano letivo em beleza, nada melhor do que realizar um trabalho de Geografia sobre os biomas terrestres. Para tal, decidi reunir uma série de material, que inclusivamente já vos apresentei na aula, e é material é constituído por mini documentários, imagens e textos, que nos fazem compreender melhor sobre os diversos biomas da Terra, que são: «um conjunto de diferentes ecossistemas, que possuem certo nível de homogeneidade. São as comunidades biológicas, ou seja, as populações de organismos da fauna e da flora interagindo entre si e interagindo também com o ambiente físico chamado biótopo».
 
Assim, o teu trabalho individual, deverá responder à questão:
 
eseuvivesse1
Por outras palavras, terás de te imaginar a viver num bioma diferente do atual, e descrever como seria o teu dia a dia se nele vivesses. Para o fazeres, poderás consultar o Dossier Biomas ou o teu manual. A apresentação poderá ser no formato que muito bem entenderes: um trabalho escrito, uma apresentação de PowerPoint, um vídeo, etc.
 
Mas, para entenderes um pouco mais sobre os biomas do nosso planeta, terás de começar por algum lado, e nada melhor do que um planisfério sobre a distribuição dos mesmos nas diferentes latitudes da Terra.
 
Biomas Mapas
 
Para analisarmos com algum rigor o mapa anterior, comecemos por dividir as árvores segundo a sua folhagem ao longo do ano. Temos assim as árvores de folha perene ou persistente (tal como a oliveira) e as árvores de folha caduca (tal como o carvalho). Este comportamento das árvores relaciona-se com o clima que a rodeia no seu habitat natural. Assim, as árvores de folha caduca deixam cair as folhas no inverno, e na totalidade, dada as poucas horas de luz solar desta estação (florestas temperadas húmidas). No que se refere às árvores de folha persistente, estas abundam nas regiões de latitude próxima do equador, onde o número de horas de sol é superior, e por isso mantêm sempre a mesma folhagem.
 
Imagem1
 
Por outro lado, há que entender que nem todas as plantas tem o mesmo o grau de adaptação à falta de água. As árvores de casca grossa e folha relativamente pequena,  apresentam características xerófilas, que lhes permitem conservar água. Temos como exemplo os sobreiros e as oliveiras, que deste modo ultrapassam o duro período estival (verão) dos climas mediterrâneos, caracterizado por uma quase ausência de precipitação.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário