Prever o futuro baseado na intuição.

segunda-feira, 23 de abril de 2012 · Temas:

Há poucos dias, o Jornal Público mencionou um estudo realizado pelas Universidades de Colúmbia e Pittsburgh (EUA), onde se provou que os indivíduos que confiam mais na intuição têm tendencialmente maior sucesso na previsão de acontecimentos futuros - do estado do tempo, à evolução do desempenho de títulos em bolsa ou ao resultado de uma eleição, de um campeonato ou de um concurso televisivo - do que aqueles que ignoram ou desprezam as indicações do seu «oráculo emocional».

«Quando confiamos nos nossos sentimentos, o que nos parece «certo» ou «errado» corresponde ao sumário que fizemos de todo o conhecimento e informação que recolhemos consciente e inconscientemente sobre o mundo que nos rodeia. É esse conhecimento acumulado, que o nosso sistema emotivo sintetiza, que nos permite fazer melhores previsões. De certa maneira, os nossos instintos dão-nos acesso a uma janela privilegiada de conhecimento e informação, que fica bloqueada numa forma de raciocínio mais analítico». No entanto, esse fenómeno não é puramente casual - o oráculo é imperfeito. Os investigadores concluíram que a tal «janela privilegiada» para a previsão do futuro só pode ser acionada quando já existe um conhecimento ou uma experiência prévia. Por exemplo, os resultados no estudo em que o que estava em causa era estimar o estado do tempo demonstrou que as diferenças entre os «intuitivos» e os «analíticos» só se manifestavam na previsão meteorológica do lugar onde viviam. Em locais onde os participantes nunca tinham estado - Pequim, na China, ou Camberra, na Austrália - os dois grupos eram igualmente incapazes de fazer previsões acertadas.kcocco_twitter_data_google_prediction_api

De facto assim é. Quantos de nós, intuitivamente e no nosso dia-a-dia, não damos palites sobre a meteorologia, os resultados dos jogos de futebol, ou mesmo as notas do final do período, acertadamente? A nossa intuição parece assim conseguir retirar da mistura de uma série de conhecimentos e experiencias acumuladas, hipóteses certeiras.

Estas capacidades de meta-síntese, se assim lhes podemos chamar, são assim um terreno de conhecimento muito inexplorado pela ciência. Há no entanto alguns exercícios informáticos e estatísticos, baseados no princípio acima descrito, que podem causar uma certa admiração.

Falo nomeadamente de uma ferramenta chamada Weather Sentiment Prediction, que basicamente unifica o que as pessoas sentem sobre o estado de tempo de uma determinada região, com base nos comentários que fazem no Tweeter. As mensagens são analisadas e são-lhes atribuídas uma classificação positiva ou negativa, resultando num determinado «sentimento» maioritário sobre o estado de tempo. Weather Sentiment Prediction

O princípio utilizado por esta aplicação baseada no Google Maps é muito interessante e revela um potencial enorme, se pensarmos na sua aplicabilidade à ciência ou ao domínio social e estatístico.


Fontes:

- Jornal Público, 26 de Março de 2012

- http://www.dialogueearth.org

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário