A verdadeira crise.

sábado, 25 de fevereiro de 2012 · Temas: ,

Segundo o Instituto de Meteorologia, em 15 de Fevereiro passado, a situação de seca agravou-se em termos de intensidade estando agora 75% do território nas classes de seca severa e extrema. Ainda segundo a mesma fonte, nos primeiros quinze dias de fevereiro, os valores de precipitação voltaram a ser muito inferiores ao normal (1971-2000), verificando-se um aumento considerável da área em situação de seca.

Segundo o meteorologista Costa Alves, citado pelo Jornal de Notícias em finais de Janeiro, «Portugal continental poderá enfrentar uma situação de seca extrema em Fevereiro, caso se mantenha a falta de precipitação verificada em Janeiro». Ora, o mês de Fevereiro está quase a finalizar e em certas regiões de Portugal Continental, o valor de precipitação foi nulo.

Portugal Seca Fev152012Esta ausência de chuva, num dos meses mais pluviosos do ano, é por si só, sintoma da extrema gravidade da situação que atinge toda a região continental do país, e que nem por isso tem merecido até ao momento, o devido enfoque político e noticioso.

Bragança, por exemplo, é hoje uma cidade abastecida pela única reserva de fornecimento de água à população, a albufeira da barragem da Serra Serrada, o que significa que a cidade ficará sem água para o verão se não chover abundantemente.

Analisando o mapa de distribuição do índice PDSI (balanço da água tendo em conta dados da quantidade de precipitação, temperatura do ar e capacidade de água disponível no solo), verificamos que o Litoral Norte encontra-se numa situação de seca extrema, Trás-os-Montes e uma faixa dilatada da raia beirã, apresenta uma situação de seca moderada, sendo que o restante território continental, está numa situação de seca severa.


Fontes:

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário