O Dia Mundial da Dança.

domingo, 2 de maio de 2010 · Temas: ,

«Uma actividade tão conhecida e apreciada nos dias de hoje não pode ser passada em branco! Assim, consideramos importante festejar este dia [29 de Abril] da melhor maneira e, para que toda a comunidade escolar fique sensibilizada com este nosso gosto, decidimos oferecer um texto com informação e opiniões pessoais, para um melhor entendimento desta arte fascinante!
  
The Flamenco Dance - Manuel Ruiz Guerrero.
Como repararam anteriormente, definimos dança. Uma definição universal e ao mesmo tempo tão subjectiva, uma vez que a dança não significa o mesmo para todos e cada um deve defini-la de acordo com os seus valores e princípios!

A dança é, sem dúvida, um complemento de vida, uma actividade que reúne em si um turbilhão de emoções; emoções essas que conseguimos transmitir através do corpo, através de todos os gestos feitos, não descurando a expressão facial que nos torna ainda mais ligados ao público, permitindo-lhes perceber a mensagem que queremos transmitir! Essa mensagem é: “Eu estou a adorar estar aqui, e dançar faz-me sentir viva!”

Aula de Dança na Ópera (1872) - Degas

Dizemos com o maior orgulho do mundo: “É tão bom sentir isso”, porque se transforma num sentimento impossível de explicar e que nos faz dançar ainda mais e mais e mais… Sem nunca parar, porque uma bailarina não pára, ela tropeça, levanta, aprende, erra e ensaia, sempre sem parar, e, infelizmente só pára quando a música se calar na sua vida, e a vida só se cala com a morte.

É este o nosso sentimento perante a dança, pois é ela que nos mantém vivas e sem ela já nada seria igual. Ingressamos na dança primeiramente como forma de desporto ou lazer, mas com o passar do tempo e graças a excelentes professores que passaram na nossa vida fomos aprendendo a respeitar e a dançar sem limites, sem olhar para o que os outros irão dizer, porque o importante é o que a nossa alma sente quando dançamos! Uma imensidão de felicidade completamente inexplicável e onde a palavra desistir nunca aparece, muito pelo contrário, a persistência e vontade estão presentes em qualquer dos movimentos que possamos fazer!

Never Ending Dance - Giselle Luske.

Deste modo, agradecemos fervorosamente e diariamente a existência da dança, e não deixem este dia passar em branco… Dança!!! Caso contrário os anjos não saberão o que fazer contigo!

O que é a dança?

A dança é uma das três principais artes teatrais da Antiguidade, ao lado do teatro e da música. Caracteriza-se pelo uso do corpo seguindo movimentos previamente estabelecidos (coreografia) ou improvisados (dança livre). Na maior parte dos casos, a dança é acompanhada ao som e compasso de música e envolve a expressão de sentimentos potenciados por esta.

A dança pode existir como manifestação artística ou como forma de divertimento. Actualmente, a dança manifesta-se em qualquer ambiente em que for contextualizado o propósito artístico e em vários estilos: Dança Clássica (Ballet), Breakdance (Hip-Hop, Freestyle), Dança Contemporânea, Dança Desportiva (Patinagem Artística), Danças de Salão, Danças Orientais, Danças Tradicionais, Sapateado ou Capoeira.


Dança no Moulin Rouge (1889-1890) -
Henri de Toulouse-Lautrec.

Os benefícios da dança.

Os benefícios da dança como uma actividade física são bem conhecidos: a flexibilidade, a melhoria do condicionamento aeróbico, o aprimoramento da coordenação motora e perda de peso, entre tantos outros. Mas pouco se fala da dança como uma terapia para a alma. Basta observar com um pouco mais de atenção para perceber que os resultados vão muito além do bem-estar físico.

A socialização, o combate à depressão e à timidez, a alegria, o aumento da auto-estima e boa disposição para encarar as dificuldades do dia-a-dia, são apenas algumas das transformações que se notam em quem se “arrisca” a entrar no mundo mágico da dança.


A Aula de Dança (1874) - Degas.

Dançar é acima de tudo uma questão de sentimentos e não de técnica. Ao ensaiar os primeiros passos, as pessoas desprendem-se dos medos e preconceitos e vêem o seu estilo de vida ser transformado pouco a pouco.

A dança é realmente uma forma de terapia. Qualquer pessoa pode dançar, não existem restrições, nem mesmo de idade. Os passos podem, e devem, ser adaptações às limitações físicas de cada um, mas não existe impedimento. Basta saber ouvir a música e dançar, sempre com muita emoção e sentimento.

- Joana Simões (12ºE) e Rita Ribeiro (12ºF).

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário