Aprendemos a construir um ninho.

terça-feira, 18 de abril de 2017 · Temas:

Uma visita de estudo é, por definição, uma saída de campo onde se aprende ou se revêm conceitos estudados de modo teórico. Ora, foi isso que o último Sábado Diferente, realizado no Parque Biológico de Gaia, permitiu: observar como estão instalados os ninhos de pássaros na árvores, a sua arquitetura e os materiais empregues na sua construção.

SBNinhosParque2017-062

A observação in loco, e as múltiplas fotografias, tiradas às dezenas, permitiram perceber que a sua colocação é também importante. Todos os ninhos que observamos, estavam colocados no topo do troco de árvores de copa larga, sobretudo carvalhos alvarinho.

Percebemos também, que é importante utilizar materiais nobres na sua construção, madeira maciça, que apontamos para pinho, de cerca de dois centímetros, e revestir o “telhado” com um material impermeabilizante, colocado de forma discreta. A abertura do ninho é pequena e sem necessidade de poleiro.

Arquitetura dos ninhos - Projeto Ninhos ESL 2017.

Ora, esta lição ao vivo, permitiu arquitetar ninhos de dimensão apropriada a alguma da imensa avifauna da região onde se insere a ESL. Com sorte, talvez o chapim-preto (Periparus ater), o chapim rabilongo (Aegithalos caudatus), o chapim azul (Cyanistes caeruleus), o rabirruivo (Phoenicurus ochrurus), ou o pintassilgo (Carduelis carduelis), que tanto apreciam árvores, constroem ninhos nos ramos e nas cavidades nos troncos, decidam, já tardiamente, é certo, habitar os nossos ninhos a partir de meados de maio.

Como leigos do assunto, estamos a aprender, a mostrar o que aprendemos e a devolver essa aprendizagem. Achamos que é assim que se faz e prometemos novidades!


Fontes: portaldojardim.com // Carlos Steinwender - Revista Municipal da CM Lousada, abril 2017.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário