Politechnikum Alternatív Gimnázium.

terça-feira, 29 de maio de 2018 · Temas: ,

É difícil definir a escola que nos recebeu em Budapeste, porque não é uma escola normal, mas devia sê-lo. Os papagaios que esvoaçam nos corredores, entre paredes que não dão descanso aos sentidos, provam a atitude colorida de uma filosofia de ensino que se reflete em quem mais interessa: os alunos. Estes, sentem a escola como um prolongamento das suas casas, um espaço de onde aprender não é só aprender, é também prazer e saber estar, quer seja deitado no banco de jardim, numa janela redonda ou no chão do corredor.

Politechnikum-100

Os primeiros contactos com o Politechnikum Alternatív Gimnázium deram-se por entre os intervalos das aulas, que eram absolutamente incríveis! Vimos alunos deitados aqui, sentados acolá, a ler ou lanchar no chão do corredor; vimos salas com cadeiras presas ao teto ou com nomes de frutos; graffitis a decorar paredes, à mistura com fotos de turma de meados do século XX. A informação era tanta que ainda hoje lidamos com a sua assimilação!  Com tudo isto, trouxemos ideias incríveis, exequíveis na nossa casa, até porque temos um fantástico espaço verde, que urge potenciar, e onde elas podem ser aplicadas. Haja papagaios a voar!

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário