Repensar o território com mapas.

sábado, 21 de outubro de 2017 · Temas: ,

Quando o planeamento é discutido em Portugal, não é sustentado devidamente em mapas, modelos ou fotografias (Valle). As questões e leis jurídicas, a economia local, a política e os programas sociais, impõe-se perante aquela base. E se estas são uma peça chave na forma como deverá, “inteligentemente”, ser lido o território, a base deverá ser o ponto de partida, fornecendo uma visão de conjunto inultrapassável.

Divisões de Portugal Continental

Num contexto de repensamento do território, muitas perguntas que se levantam, e decisões que se venham a tomar, não podem ser encaradas apenas com recurso a números e estatísticas. A convicção, as ideias e as políticas são importantes, mas, inócuas, se desprovidas de uma visão de conjunto que só a Geografia consegue criar através do mais querido dos seus instrumentos, o mapa.


Fonte: Urbanismo Portugal – Daniel Casas Valle.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário