Os “timelapses” do Google Earth Engine.

domingo, 4 de dezembro de 2016 · Temas: ,

Descobrimos mais uma apaixonante ferramenta geográfica da Google, proporcionada através do projeto Google Earth Engine: timelapses de satélite. Esta novidade, mostra-nos fotografias obtidas através daquele modo, entre 1984 e 2016, que permitem análises geográficas riquíssimas.

A ferramenta está disponível online e cobre todo o planeta. Contudo, a definição da fotografia de satélite não se apresenta com a mesma qualidade em qualquer lugar, muito à semelhança do que ainda hoje acontece no Google Earth.

AMP 1984

AMP 2016

Para experimentar, apontamos à zona mais central da Área Metropolitana do Porto e as diferenças que constatamos entre as duas imagens, separadas por 32 anos, daria para escrever um artigo de páginas profundamente analíticas. Assim, fugindo à tentação, destacamos apenas alguns pormenores incontornáveis.

Em primeiro lugar, a expansão viária e suburbana: os anos sequentes à entrada na UE (ex-CEE), e os pacotes financeiros de que o país beneficiou, desenfreou uma política de infrastruturação viária (as principais autoestradas nacionais datam daquele período), que levou a um acentuado processo de suburbanização em torno da malha urbana central do Porto (pontos 1 a 5).

A rede de autoestradas e anéis viários cresceram e interligaram-se: em 1984, o anel viário mais central desta região, a via de cintura interna (VCI), acabava pouco depois de atravessar o Douro, permitindo um acesso à “via rápida”, na zona do Foco, até ao porto de Leixões. Atualmente, a região dispõe de três anéis de autoestradas.

Por último, é interessante ver a evolução do desenho do cabedelo da foz do Douro. Outrora mais volátil, dada a inexistência dos molhes da barra do Douro (construídos entre 2005 e 2008), entre outros fatores montantes, parece atualmente estabilizado. Já os areais das praias adjacentes e a sul da foz, parecem evidenciar um problema de desassoreamento, já focado no Geopalavras (pontos A e B).    

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário