A última caminhada.

segunda-feira, 28 de março de 2016 · Temas: , ,

Não é a primeira vez que aqui escrevemos sobre o Tua, o belíssimo Tua, cujo vale será em breve inundado, dada a construção da barragem de Foz-Tua, perdendo-se, irremediavelmente, mais uma paisagem única no país. O rio, que resulta, curiosamente, da junção de dois afluentes, o Tuela e o Rabaçal, a cerca de 4 quilómetros a montante de Mirandela, oferece-nos um vale selvagem de elevado valor paisagístico e ecológico até à sua foz, no Douro (EIA AHFT, pg. 306), que concilia uma linha férrea de rara beleza e potencial turístico.

Enquadrameto regional da barragem de Foz-Tua

Não obstante, a barragem está quase construída e o vale não tardará a inundar terra pródiga em olivais, vinha de qualidade superior, e uma paisagem única.  Será que não havia outra solução para este pedaço transmontano que não o espelho de água? Ninguém nega a importância da potencialização energética permitida pela barragem e, sobretudo, a captação de água na albufeira. Mas no caso deste vale, com uma via férrea instalada e um Douro ali ao lado, não seria bem mais interessante uma outra abordagem. Definitivamente, sim.


Fonte: AHFT EIA  Vol. II

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário