Um dia à beira-mar.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016 · Temas: , ,

O sol invernal, morno e doce,  manteve um diálogo apaziguador com a gélida e salgada brisa de norte, com a qual estabelecemos uma relação particular, contraída, ao longo dos 22 quilómetros do passado Sábado Diferente. Foi um diálogo simples, repleto de gentes e coisas simples, num cenário de bonança rara, onde pontuaram os desportistas férreos, pescadores pacientes, respigadores de ocasião e simples adoradores do sol.

De certo modo, tudo o que vimos já esperávamos, até porque este era um cenário simétrico ao percorrido num Sábado antigo, e realizado mais a norte. Na verdade, a natureza não defraudou, e mesmo se marcada pelo rasto de um inverno vigoroso, foi quem nos alentou até à foz do Douro, e dali até à Baixa do Porto, por entre a tipicidade da roupa defraudada ao vento a secar, ou o belíssimo estuário do rio ao pôr do sol.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário