As infraestruturas e a Cidade da Lixa.

domingo, 6 de abril de 2014 · Temas: ,

- Por André Dias e Lucas Fernandes.

Elaboramos este trabalho no âmbito da disciplina de Geografia sobre o que “Támal” na Lixa, nomeadamente a sua falta de infraestruturas. A escolha deste tema deveu-se ao facto de querermos saber o que os habitantes e as pessoas que frequentam a Lixa acham que faz falta nesta cidade.

Lixa

O “Támal” tem como objetivo mostrar o que está mal na nossa sociedade, no nosso caso, focamos a falta de infraestruturas na cidade da Lixa. Para percebermos melhor a opinião da população lixense sobre este assunto, percorremos as ruas da Lixa em busca das respostas para as nossas perguntas, sendo a principal: o que realmente falta na Lixa?

“Na Lixa falta definitivamente um cinema”, disseram várias pessoas, queixando-se da falta de um cineteatro na cidade, de uma infraestrutura cultural para o usufruto da população, que assim não se teria de deslocar a outra cidade para ver um filme.

Outra das “queixas” dos habitantes da cidade da Lixa é a falta de um parque infantil. “Se eu quiser levar os meus filhos a algum lado para se divertirem, tenho que me deslocar a outra cidade porque cá não há nenhum sítio para eles brincarem.” A falta de um parque infantil contribui também para a “fuga” da famílias para outras cidades, pelo menos nos tempos livres, ou aos fins-de-semana. Queixaram-se também da falta de um complexo desportivo, visto que não há nenhum espaço público próprio para a prática de desportos. “Se nos quisermos encontrar para jogar futebol num campo com condições, temos de ir para fora da Lixa, visto que cá não há nenhum”.

Outra das infraestruturas que devia existir na Lixa, segundo os nossos interlocutores, era uma unidade hoteleira que proporcionasse à cidade condições para acolher pessoas de outros locais, pois consideram que a Lixa precisa de investir na hotelaria e restauração. “Se alguém de fora vier para a Lixa, não tem onde ficar. Não tem um bom sítio para fazer uma refeição. Aqui a restauração resume-se a pizarias e snack-bares”. Mas a Lixa não tem apenas falta de infraestruturas.

QuiLixa

A Lixa tem várias superfícies comerciais, um espaço próprio para a realização da feira semanal, um agrupamento de escolas, com uma escola secundária que foi renovada e modernizada, um centro escolar também recente, vários jardins-de-infância. Tem um centro de dia e um lar para a terceira idade, e conta também com um centro de saúde, um quartel dos bombeiros, um posto da GNR, uma piscina pública, um terminal rodoviário, uma casa da cultura e uma biblioteca municipal. A Segurança Social também tem uma repartição na Lixa e ainda está presente uma estação dos correios.

Assim, percebemos que a Lixa tem algumas infraestruturas úteis, no entanto não estão suficientemente dinamizadas e não mostram à população as mais-valias para que estão apetrechadas.

A Casa da Cultura, por exemplo, tem um espaço próprio para exposições, raramente aproveitado, possui ainda um espaço de internet gratuito e realiza momentos de leitura em grupo (hora do conto), mas raramente se vê a divulgação de alguma atividade neste espaço.

O terminal rodoviário tem uma sala de espera que não é renovada há mais de 15 anos, é um espaço desconfortável, sem luz, o que faz com os utentes esperem na rua e ao frio pelos seus transportes.

Na cidade da Lixa passam duas estradas nacionais, nacional 15 e nacional 101, passagem obrigatória para outras cidades, daí a necessidade de investimento no setor da restauração, para aproveitar e rentabilizar este setor na cidade. A Lixa depara-se portanto com uma pequena falta de infraestruturas, e nós concluímos após esta viagem pelas ruas da Lixa que a cidade tem mais para oferecer do que parece. A opinião da população lixense é de que falta: um cineteatro, um parque infantil, um complexo desportivo aberto ao público e a falta de estabelecimentos hoteleiros e restaurantes. Eis o que “Támal” na Lixa.

Em suma, percebemos que a Lixa tem bastantes infraestruturas úteis, tais como hipermercados ou até mesmo a piscina e casa da cultura, mas carece de infraestruturas nos ramos da hotelaria e restauração. A Lixa depara-se portanto com uma pequena falta de infraestruturas, e concluímos após esta “viagem” pelas ruas da Lixa, que a cidade tem mais para oferecer do que parece. A opinião da população lixense é de que falta: um cineteatro, um parque infantil, um campo de jogos aberto ao público e a falta de estabelecimentos hoteleiros e restaurantes. Eis o que “Támal” na Lixa.


Ficha técnica:

As perguntas foram feitas oralmente, a pessoas de ambos os sexos, sem diferenciação de idades, no dia 10 de março (segunda-feira) durante a tarde, dia perfeitamente normal na Lixa.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário