Curvas perigosas.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013 · Temas:

Estamos de tal forma anestesiados com a receita da crise, que problemas como o pavimento das estradas, a sua intensidade de tráfego e a deficiente sinalização vertical e horizontal, nos parecem um problema menor, pormenores... Mas não são. O estado das nossas estradas nacionais e municipais está no limite, roçam mesmo o terceiro mundismo e desafiam os que nelas viajam, a malabarismos de condutor e uma atenção redobrada.

 

Exemplos há muitos; uma viagem entre o Porto e Amarante, N15, é convite para ver aquilo que há bem poucos anos nos parecia próprio de um país do Magrebe. Faltam pinturas básicas no pavimento e os amontoados de publicidade estática, arrumam com o que resta da sinalização horizontal que ainda sobrevive; os semáforos para peões apenas enfeitam a estrada que, quando serpenteia por entre o casario das localidades que atravessa (Valongo, Campo, Baltar, Paredes, Penafiel, Lixa…), parece cair num autêntico limbo de desleixo. Os municípios rejeitam responsabilidades e o Estado não quer saber.

Ora, este tema sensibilizou a Sofia e a Vera que, numa encenação realizada nas imediações da referida estrada nacional, caricaturaram de uma forma divertida o panorama descrito. Vejam.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário