O efeito de estufa agravado.

terça-feira, 27 de novembro de 2012 · Temas: , ,

O efeito de estufa é um processo natural que ocorre na atmosfera, mas que tem grande importância para a vida no planeta. Basta pensar que sem ele a temperatura média da superfície terrestre desceria para os cerca de 20°C negativos.

O problema é que o efeito de estufa tem vindo a intensificar-se progressivamente ao longo dos anos (agravamento), em resultado da maior emissão de gases poluentes, como o dióxido de carbono (C02), o metano (CH4), o óxido de azoto (N20) e os CFC (clorofluorcarbonetos).

A concentração excessiva destes gases, chamados gases de estufa (GEE), retém demasiada energia calorífica nas camadas mais baixas da atmosfera, contribuindo assim para as alterações climáticas e em particular para o aquecimento global. A maior parte dos gases com efeito de estufa é proveniente da ação humana e tem sobretudo origem nas regiões mais desenvolvidas ou de atividade económica mais intensa. Há contudo uma pequena percentagem que resulta de fenómenos naturais nomeadamente dos incêndios e dos vulcões.

Mas como é que que este fenómeno ocorre? Sabemos já que o espectro solar é constituído por um conjunto vasto de radiações: ultravioletas, infravermelhas, entre outras, que atravessam, em parte, a atmosfera. Contudo, a crescente emissão de gases poluentes introduz variações neste equilíbrio, já que deixa passar a radiação solar de (luz) para a Terra, mas retém grande parte da irradiação terrestre (calor), entretanto emitida pela Terra, evitando assim que a mesma se perca nas altas camadas da atmosfera funcionando, por isso, como uma barreira que concentra o calor.

Por outras palavras, a energia solar recebida tem um espectro de frequência diferente daquela emitida pela superfície terrestre. Os gases estufa são largamente transparentes à luz solar visível, mas obstruem os raios infravermelhos da irradiação terrestre, retendo essa energia bem perto da superfície terrestre.

Este fenómeno é conhecido por efeito de estufa e atinge mais os países industrializados, por serem estes os principais emissores de dióxido de carbono.


Fontes:

. Wikipédia

. Gary A. Smith, Aurora Pun - Prentice Hall, Inc. – 2005.

. Fernando Santos, Francsco Lopes - Espaço Geo, Vol. 2 – ASA, Porto.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário