O erro de Vivaldi.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 · Temas:

Escrevi há uns dias sobre a seca que temos assistido no nosso país, neste período normalmente pluvioso de Inverno. Contudo, e ao que parece, a crise económica, o futebol e alguns casos mediáticos de ocasião, tem-se sobreposto a um drama que ninguém parece querer ver ou entender. Reparem no seguinte, a precipitação dos meses de Janeiro e Fevereiro, que normalmente contribuem com cerca 20% da precipitação média de uma região como o Porto (uma situação mais ou menos extensível ao resto de Portugal Continental), foram, neste ano, praticamente inexpressivos neste fenómeno.

Precipitação Porto Serra Pilar

Perante isto, venha uma primavera chuvosa que tudo compensará, dirão os mais incautos. Infelizmente não é assim tão simples! Do ponto de vista agrícola, há culturas que estão irremediavelmente afetadas ou mesmo perdidas. Os pomares de citrinos, por exemplo, apresentam frutos de muito baixo calibre e as pastagens para o gado escasseiam. No que toca à produção energética, os custos de produção aumentaram, dadas as necessárias importações de combustíveis fósseis, que colmata os défices de produção hidroelétrica.

A água, como bem, também não escapa a esta carência, sendo que há Concelhos a utilizar, em pleno inverno, as reservas que deviam ser utilizadas no verão.

Perante isto, que ninguém ouse afirmar que 20% de precipitação a menos é algo superável pelas eventuais chuvas da primavera. Não é! Nem que chova o dobro do que é normal. O ritmo biológico da natureza, e a própria economia, não se compadecem com este desaparecimento de estações bem vincadas e incaracterísticas.

Os climatologistas e outros especialistas do tema têm sempre muita resistência em admitir estas mudanças. Os valores médios e as normais climatológicas escondem muitas das vezes aquilo que todos nós, empiricamente, vemos e sentimos.

Se fosse hoje, Vivaldi não teria escrito quatro músicas sobre a dança das estações, quanto muito duas. Se o fizesse, seria um erro.


Fonte: Instituto de Meteorologia.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário