10 regras de ouro do novo acordo ortográfico.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O novo acordo ortográfico causa ainda muitas dores de cabeça e acima de tudo muitas dúvidas. Felizmente, ainda resistem por aí uma série de almas altruístas que criam, publicam e transmitem, compilações como a seguinte que nos ajudam bastante no nosso dia-à-dia.

    1. As letras k, w e y entram no alfabeto (agora com 26 letras).
    2. Escrevem-se com minúscula os dias da semana, os meses, as estações do ano e os pontos cardeais e colaterais, exceto nas abreviaturas ou quando representam uma região (Fui para o Sul e entrei pelo sul de Albufeira).
    3. As consoantes c e p, quando não pronunciadas, deixam de se escrever (redação, ótimo, mas facto e pacto).
    4. Suprimem-se os acentos no ditongo aberto oi das palavras graves, na distinção de quase todas as palavras homógrafas, na terminação eem dos verbos (heroico, mas herói / para (verbo parar), mas pôr (para distinguir de por) e pôde (para distinguir de pode) / leem, veem, preveem).
    5. Usa-se sempre  hífen  quando a letra (vogal ou consoante)  com que termina o prefixo é igual à que inicia o 2º elemento (micro-ondas, super-ratosub-bibliotecário);   se o 2º elemento começar por h (anti-herói, auto-hipnose); a seguir a prefixos acentuados (pós-parto, pró-abortoalém-mar); a  seguir  a  ex, quando significa  cessamento (ex-marido).

    6. É ainda obrigatório usar hífen com espécies botânicas e zoológicas (feijão-verde, rouxinol-do-Japão, rato-do-Egito) e com prefixos colocados antes de estrangeirismos, nomes próprios e siglas (anti-stress, anti-EUA, anti-Obama).

    7. Usa-se sempre hífen em palavras compostas por justaposição (sem elementos de ligação) que, no seu conjunto, constituem uma unidade de sentido (engenheiro-agrónomo, guarda-noturno, médico-cirurgião).

    8. Não se usa hífen se o prefixo terminar em vogal e o 2º elemento começar por r/s (dobra-se o r/s: minissaia, semirreta, neorrealismo) e se o prefixo acabar em vogal e o 2º elemento começar por vogal diferente (autoavaliação, antiamericano, miniestágio).

    9. Deixa de se usar hífen a seguir ao verbo haver (hei de, hás de, há de, hão de).

    10. Salvo raras exceções, não se usa hífen nas locuções (fim de semana, corpo a corpo, canto do cisne).

Fonte: António Pereira – http://acordo-ortografico.blogspot.com.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário