A Lua do solstício.

segunda-feira, 21 de junho de 2010 · Temas:

Se no início de uma destas noites de Verão olharmos para oriente, vemos um gigante a surgir no céu: é a Lua do solstício! Este gigante, que resulta de uma ilusão, foi inicialmente entendido como um efeito de aumento (lupa) provocado pela acção da atmosfera naquele astro. Contudo, experiências feitas em filme provaram que a Lua tem o mesmo tamanho independentemente da sua elevação no céu (aparentemente só os humanos andam a ver Luas gigantes!).
  
Lua de solstício.
Mas afinal o que é que vemos nos céus de finais de Junho? Uma Lua gigante ou não? Após anos de investigação, os cientistas ainda não têm certeza. Quando olhamos para a Lua, os seus raios convergem e formam uma imagem de cerca 0,15 mm de largura na nossa retina. Ora, embora este facto se aplique quer para a Lua elevada no céu quer para a Lua mais rasa, junto ao horizonte, o nosso cérebro insiste em ver um gigante quando a Lua está na sua altitude mais baixa…

Efeito de Ponzo.
Uma ilusão similar foi descoberta em 1913, por Mario Ponzo, que desenhou duas linhas idênticas e convergentes, tal como as linhas de um caminho-de-ferro. Se observamos a imagem (Efeito de Ponzo) sem o devido rigor, caímos na ilusão criada pelo «Efeito de Ponzo» e vemos, erradamente, a linha amarela superior com uma largura aparentemente maior do que a linha amarela de baixo. Alguns investigadores acreditam assim que a ilusão da Lua do solstício resulta da acção do «Efeito de Ponzo» onde as árvores e as casas a funcionam como linhas convergentes, provocando um efeito enganador no cérebro e fazendo-nos acreditar que a Lua, junto ao fio do horizonte, é maior do que é normal.

Fontes:

- Wikipédia
- NASA.

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário