A impossibilidade da Paz.

sexta-feira, 23 de abril de 2010 · Temas: ,

«Esta imagem [em baixo], apesar de não mostrar um conflito actual em concreto, torna-se muito simbólica e pertinente face aos conflitos que existem actualmente, grande parte deles no médio oriente, sobretudo na faixa de Gaza.

A forma como a pomba branca (que simboliza a paz) nos é apresentada mostra bem o que realmente se está a passar em Gaza, transmite uma ideia de uma paz inalcançável, retira qualquer esperança em que aquela zona do planeta se pacifique. Apesar de simples é uma imagem forte, com uma grande mensagem, que no fundo pretende comover o mundo e alerta-lo para o descalabro do médio oriente.


Uma luta que começou inicialmente por conflitos étnicos e religiosos, hoje estende-se a luta pelo petróleo e pela água. Uma guerra civil constante levada ao extremo e que de certa forma acaba por ser apoiada pelos ocidentais, que têm muito interesse nos recursos energéticos daquela zona, e que se aproveitam destes conflitos para se instalarem lá e teren a maior quantidade de benefícios possível, nem que para isso tenham que recorrer aos métodos mais violentos. Um mundo ocidental hipócrita, que apenas se aproveita da fragilidade destes países, para lhes extraírem ao máximo os seus recursos energéticos, até mesmo para tentarem impor o seu regime e modo de vida, só para se poderem afirmar como “os mais poderosos”. E no meio de tudo isto onde é que está a solidariedade e a luta pelo bem comum? Onde é que isso aparece! É que no final das contas é essa a desculpa utilizada pelos ocidentais, para poderem invadir a faixa de Gaza e serem considerados os salvadores da pátria… mas passam-se anos e anos e as coisas não dão sinais de melhora, antes pelo contrário, tudo vai ficando pior, as rivalidades vão aumentando e a violência já é o prato do dia…

Os ocidentais queixam-se dos graves ataques terroristas que aparecem constantemente, sobretudo o que os afectam. Todavia quando reclamam e reclamam e voltam a reclamar esquecem-se que também tem culpa e muita. É que muito possivelmente se não os tivéssemos incomodado eles a esta altura viviam bem melhor, ou se pelo menos estivéssemos no seu território apenas para ajudar (sem 2º intenções) a situação podia ser bem melhor. Porém não é assim que acontece e é tarde demais para arrependimentos. Os ocidentais, influenciados pelos EUA foram longe demais e esqueceram-se que naquela zona existe um povo com uma cultura diferente, com valores diferentes, com crenças diferentes e que já antes de nós lá chegarmos eles existiam e já tinham os seus problemas.

A liberdade de cada país e os seus problemas internos, nunca são compreendidos por aqueles que os olham de foram, por isso é que há conflitos e diferenças. Hoje que já entendo melhor as coisas, o atentado as torres gémeas não me surpreendeu nada. Afinal os EUA provocaram, causaram o caos num local que simplesmente não lhes pertencia apenas porque possuíam petróleo e no fim de toda a história são vistos como vitimas. É caso para colocar a questão de quem é que é mais terroristas no meio desta situação toda? Os EUA ou o Médio Oriente?

O que me entristece mais nesta problemática são as pessoas que morreram inocentes, sem culpa nenhuma do que se estava a passar e até sem quererem que tudo isto acontecesse, mas as vítimas só são lembradas depois, antes de cometerem as maiores atrocidades esquecem-se que há sempre alguém que ira sofrer com isso e muito. Mas mesmo assim conseguem ser animais frios sem qualquer respeito pela humanidade e ainda assim consideram-se melhores que todos os outros, quando no fundo ninguém respeita ninguém e talvez se houvesse respeito, nada seria assim.

Em suma, a paz está muito, muito longe de chegar a Gaza e a situação tende a piorar cada vez mais, tudo isto por causa de uma coisa a que lhe chamam recursos energéticos e que por sinal até fazem mover o mundo!"

- Rita, 12ºE - www.provedorasamericanorte12e.blogspot.com/

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

Deixa um comentário