Sábado diferente: um dia em Jugueiros.

domingo, 1 de novembro de 2009 · Temas:

 A segunda jornada dos Sábados diferentes decorreu no dia 31 de Outubro e teve lugar na Freguesia de Jugueiros, situada a Norte da sede de Concelho e fronteiriça dos Concelhos de Guimarães e Fafe. Esta parte remota e bucólica do Concelho apresenta marcas da passagem secular de peregrinos e caminheiros, a caminho de S. Tiago, e de uma pastorícia e agricultura difíceis, num terreno sulcado, com vigor, por três rios: o Vizela, o Ferro e o Bugio.






A manhã, estranhamente quente para a época, começou, para a maior parte, na estação de Camionagem de Felgueiras onde se tomou a “carreira” com destino a Guimarães e paragem em Jugueiros. Já no terreno, e depois de uma bela torrada, ouvimos a primeira intervenção, de muitas, do nosso cicerone deste Sábado diferente, o Sr. Sampaio, ex-presidente da junta e profundo conhecedor da sua terra, que nos brindou no átrio da Capela de Stª Águeda, com Jeropiga e Cavacas que adoçaram o “bico” de todos e sobretudo dos mais gulosos.






A capela, linda pela sua simplicidade, era concerteza serventia das ricas famílias vindas do Brasil, no séc. XIX, que ali construíram as suas exuberantes casas apalaçadas, dando origem ao largo onde ainda hoje se realiza a feira. A maior parte deste riquíssimo núcleo carece de urgente intervenção que terá de ser doseada com muita sensibilidade histórica e cultural, de modo a preservar a memória da traça única e original.






Como se referiu, o concelho é geograficamente marcada pela sua hidrologia, dotando-o deste modo, de um importante conjunto de ponte medievais de estilo românico. São várias, bonitas e, apesar de tudo, bem preservadas dada acção determinante do anterior mandato da Junta de Freguesia.






Perto de uma destas pontes, encontramos a pequena e erma Capela de S. João, que segundo o Sr. Sampaio, servia sobretudo aos peregrinos e vendedores que por ali passavam, por monte e vales, uns movidos pela Fé e outros pelo negócio.





Fizemos também uma incursão à Aldeia de Travassós, habitada por gente idosa, em casas assentes em enormes lajes, perto da qual pudemos observar o emprego de uma antiga técnica de fabrico de escadotes e outros utensílios, a partir da obtenção de delgadas ripas de madeira. “- Foi uma sorte”, referiu o nosso cicerone, consciente que esta é uma actividade ancestral que corre o sério risco de desaparecer, caso nada seja feito.






O repasto, mesmo a calhar, foi realizado no Restaurante Dom Gafas, situado no lugar homónimo e bem perto do centro da freguesia e que só pela aparência merece uma visita bem regada.






Durante a tarde entramos num mundo que mais parecia tirado de um Parque Natural qualquer. O lugar de Barrias e o seu núcleo rural desabitado, nas cabeceiras do Bugio, são isso mesmo: um lugar encantado onde rochas polidas pela água resplandecem, no seu intenso verde-musgo, apesar da dificuldade do Sol atravessar aquela luxuriosa e sombria vegetação.






Pelo caminho, muitos míscaros, uma espécie de cogumelo, se encontraram e foram colhidos mas, apesar do retratado nas fotografias, a sensatez obrigou-nos a pousa-los e limpar bem as mãos após lhes tocar.






A jornada acabou junto à igreja matriz da terra e, como o tempo urgia, ficou por visitar uma outra área da freguesia mas manteve-se a promessa de lá voltar.

A organização deste belíssimo Sábado diferente esteve a cargo da Mariana do 12ºF. A ela, os nossos parabéns e obrigado.





Mais fotos:

Share to Facebook Share to Twitter Email This Pin This

2 respostas a: “Sábado diferente: um dia em Jugueiros.”

  1. Parabéns Mariana, por este sábado incrível a que tivemos direito! Até a minha irmã de 8 anos adorou, e chegou a casa toda contente a contar tudo o que ouviu do Sr. Sampaio. Jugueiros é uma freguesia com uma beleza única, poucos imaginam que podemos encontrar paisagens assim tão perto de nós.

    ResponderEliminar
  2. Não podia concordar mais com a Ritinha! Foi sem dúvida um sábado diferente cheio de aventura e novas descobertas.. Temos um verdadeiro achado tão perto de nós, que até então passava completamente ao lado. Assim vale a pena e vamos lá continuar com isto para a frente!

    ResponderEliminar